Pedalando pelo GR28

A serra a arder perto do Merujal, 07 de Agosto de 2010.

Serra do Gerês

Caminhando entre Garranos, de 07 a 08 de Maio de 2005.

Serra de São Macário

Escalada na Pena, 15 de Setembro de 2013.

Serra da Estrela

I Travessia em autonomia total - Guarda - Loriga, de 12 a 16 de Abril de 2004.

Linha do Dão - Ponte de Nagoselas

Travessia BTT pelas Linhas do Dão e Vouga, de 09 a 11 de Abril de 2009.

Caminhos de Santiago

Travessia do Rio Lires no Caminho de Finisterra, de 29 a 31 de Julho de 2010.

Serra de Montemuro

Nas Minas de Moimenta, 29 de Janeiro de 2011.

Linha do Corgo - Ponte do Tanha

Travessia da Linha do Corgo, de 06 a 10 de Outubro de 2013.

Serra do Caramulo

Nas neves do Caramulo com vista para a Serra da Estrela, 04 de Dezembro de 2010.

Aldeias Históricas

De BTT em autonomia total pelo GR22, de 28 de Abril a 01 de Maio de 2006.

Linha do Corgo...

27/12/2008

De volta ao BTT

Para ajudar a queimar estas rabanadas, filhóses e um conjunto vasto de guloseimas cheias de calorias, ingeridas nestes últimos tempos, fomos fazer uma BTT cá pela terra.
O dia esteve magnífico para ficar à lareira, gelado e com chuva "fresca" e abundante, mas mesmo assim nada nos demoveu de pedalarmos trilhos fora.
Para além de nós até as bikes estão enferrujadas e brindaram-nos com dois furos pelo caminho. Ossos do ofício.

Mas que soube bem, soube...

01/12/2008

Neve na Serra da Freita

Lindo, lindo, lindo, finalmente a Serra da Freita cheia de neve.
Não podia perder este momento por nada deste Mundo. Ontem fomos espreitar o Caramulo e a Serra da Arada e pelo que vimos sabiamos que a Serra da Freita também estaria cheinha de neve.
Por isso mandei o estudo às malvas e fui mais a Natália ver como estava a nossa serra favorita.
A nós juntaram-se o Amaral e a Ilda e juntos percorremos a pé um pequeno percurso, onde o branco perdominava nas cores que nos rodeavam.

Magnífico, valeu bem a pena lá ter ido. No final uma vitelinha regada com um verde tinto da zona para aquecer a alma.

Excelente dia.

30/11/2008

Passeio na Serra do Caramulo e Serra da Arada


Neste fim-de-semana em que a neve caiu em força pelo Norte e Interior do país tivémos que cancelar a actividade prevista para ontem, e pelos visto bem, mas hoje fomos "espreitar" a neve na Serra do Caramulo e na Serra da Arada (indo por São Pedro do Sul).

Estava tudo branquinho e bonito, pena as estradas de acesso aos planaltos estarem cortadas pela quantidade de neve que caiu no dia anterior e que ainda as cobria.

Pelo menos deu para andar na neve e ver as bonitas paisagens esbranquiçadas. Junto com a Natália e os nossos cães (Ruca e Rosnão), lá fomos para o frio.

Amaral no PR9 em Arouca








O amigo Amaral foi até ao PR9 para ver como ficou após o nevão. Depois claro castigou-se com o Bife de Alvarenga.

Ficámos cheios de inveja e vamos mesmo que ter que lá ir, caminhar e comer o bife.

Um abração Amaral e boa digestão.

11/10/2008

Trilhos de Vouzela



Já há muito que não faziamos uma caminhada à moda antiga.
A escolha recaiu num dos trilhos de Vouzela "Um olhar sobre o Mundo Rural" que percorre trilhos da Serra do Caramulo.
Claro que, tal como sempre, tivémos que inventar uma parte do percurso fora dos locais marcados. Assim lá esgravatámos tojo pela serra acima até fazermos do percurso linear um percurso quase circular.
Foi bom, mas estes pés já não estão habituados a caminhar tanto tempo seguido. Por isso há que continuar para recuperar a habituação necessária.
Os finais continuam bons como sempre, em alguma mesa bem recheada e melhor regada. Pelos vistos ainda continuamos em forma.


De novo em Montejunto







Mais uma ida até Montejunto para mais umas vias de escalada.


04/10/2008

Escalada em Montejunto Novo


Devido à minha estadia, por motivos profissionais, por terras da Ota-Alenquer aproveitei para ir espreitar as vias de Montejunto Novo.

Num final de tarde ventoso e frio lá me aventurei a fazer algumas vias "assegurado" por um colega que pela primeira vez fazia segurança.

Depois também aproveitei para o iniciar nestas andanças e claro, ficou logo viciado.

De positivo é que já temos um local, onde poderemos passar umas horas entretidos.

13/09/2008

De Paradela do Vouga a São Pedro do Sul em BTT



Decidimos ir fazer mais um treino e para recordar bons momentos pedalámos na extinta Linha Férrea do Vouga entre Paradela e São Pedro do Sul.
Depois regressámos a Paradela.
Os trilho continuam excelentes para ciclar, embora deixem a sua marca nos corpos doridos e arranhados dos betetistas.
Embora cansados os 84 Km da etapa foram calmamente percorridos.

Vale sempre a pena lá voltar.



video

06/09/2008

De volta a Sernada e à BTT


Depois de tanto tempo de quase inactividade total finalmente lá voltei à acção. E após uns treinos pelas Gafanhas, Areão e Mira nada melhor para testar o cabedal do que uma ida a Sernada do Vouga, sobre duas rodas pedalantes.

E soube-me que nem ginjas poder voltar a sujar-me de terra e lama, arfar trilhos acima, e sentir a adrenalina das descidas.

Quando é a próxima?

Fotos do passeio


Video:



video

09/08/2008

Há dias assim...


À chegada.

O desalento e a dor.





A tentar animar.





Desta vez foi para esquecer. Nada correu bem. A concentração, a vontade e a convicção estiveram de rastos e nem as vias sairam como devia ser. Para acabar uma queda deu-me cabo de um pé.
Agora lá vou ficar de "molho" uns tempos para recuperar desta dolorosa entorse.


Há dias de manhã que um gajo à tarde não pode sair à noite...

02/08/2008

Escalada na Freita


Mais um treino na rocha da Freita. Depois do aquecimento fomos experimentar novas vias que ainda não tinhamos escalado.

Foi muito interessante, divertido e nada fácil algumas dos passes nestas vias, mas apesar das dificuldades saimo-nos bastante bem.

E a vontade de continuar cada vez é maior...

27/07/2008

Escalada na Redinha


Infelizmente por motivos pessoais não pude participar nesta actividade, mas fico satisfeito por ver que o resto da malta se divertiu à grande.
Resta-me ficar com um pouco de inveja a imaginar o quanto se divertiram rocha acima.


Tenho que me desforrar em breve...


20/07/2008

MultiActividade na Serra da Freita


Foi mesmo em grande este fim-de-semana de muito calor que vivemos na Serra da Freita. Depois de iniciarmos na Sexta-feira com um Passeio Pedestre Nocturno, prosseguimos com um Sábado bastante movimentado em que, misturámos a Orientação com Pedestrianismo, com Jogos e charadas, enigmas, testes culturais e turísticos sobre a esta Serra, brincadeiras que fomentaram a amizade, o convívio e a diversão.
Pelo caminho um banho refrescante no rio (alguns pelo menos o fizeram) e depois a adrenalina do rappel.

Retemperámos as forças no final do dia com um cabritinho assado, vitela assada e uns enorme bifes arouqueses. Tudo claro muito bem regado que o calor era muito e a desideratação tinha sido grande durante o dia.

No Domingo a Escalada dominou a parte da manhã com o grupo a aventurar-se rocha acima.

No fim da actividade um cozido alentejano e uma grelhada de carnes foram o mote para a despedida de um belo fim-de-semana.

Para recordar entre muitas das peripécias, salientamos os mosquitos do passeio nocturno que numa belíssima noite de lua cheia nos esperavam no caminho, o excelente convívio entre os elementos do grupo, a adrenalina vivida nas falésias, os cromos que não sairam durante o jogo, e certamente os bolos da Elisa.
 
Para quem tentou acompanhar as actividades "quase em directo" através do nosso blog pedimos desculpa, mas a rede de telemóveis foi praticamente inexistente em toda a zona onde se realizou a actividade.








12/07/2008

Dependentes da Pedra...



Mais uma vez apanhados na Pedra... (da Freita)

O vício fala mais alto e já não resistimos à rocha que nos arranha o corpo e mói a alma.
E como gostamos das coisas que nem sempre são fáceis, pelo menos para nós, cada vez estamos mais dependentes desta "pedrada".
E no próximo fim-de-semana lá voltaremos com um grupo para uma multiactividade, também com mais dose de pedra.

29/06/2008

Preparação de actividade


Ontem (Sábado) fomos à Serra da Freita para preparar a actividade dos dias 18, 19 e 20 de Julho. Percorremos a pé alguns dos trilhos por onde se irão realizar algumas das actividades que pretendemos organizar.
Apesar de já conhecermos bem esta serra e muitos destes caminhos, continuamos a ter um grande prazer de lá voltar, caminhar, pedalar e escalar.
O calor que se fez sentir e a quantidade de gente que por lá começa a estar, fez-nos retirar mais cedo.


21/06/2008

Escalada na Serra da Freita


Que dia espectacular de Sol e calor, e que melhor para fazer do que um dia na Serra da Freita?
Decidimos aproveitar para escalar e treinar algumas manobras de corda.
Durante o dia também "apertámos" com o nosso amigo Vicente para que ele começasse a ganhar mais à vontade em locais sugestivos no que diz respeito à altura.
No fim já saltava e andava quase à vontade (mas ainda não à vontadinha)...

10/06/2008

Multiactividade no Minho e Galiza

Sábado (07/Jun)

Partimos em direcção a Vila Nova de Cerveira, local a partir do qual nos propunhamos realizar um conjunto de actividades de Montanhismo e BTT, gastronómicas e turísticas.
Chegados à serra d'Arga dividimos o grupo. Nós (Calé, Vicente e Cardoso) seguiamos para o lugar de Arga de Baixo para percorrer a serra em BTT enquanto as acompanhantes (Natália, Andreia e Manuela) seguiam para Cerveira para uma actividade turística (a feira de Cerveira, ehehehehehe).
Iniciámos o percurso em direcção a Arga de Cima e em seguida percorremos um trilho empedrado e técnico até ao planalto da serra. Este trilho longo e duro pôs à prova as nossas fracas habilidades técnicas neste tipo de terreno, e após muitas quedas, esfoladelas e caminhadas ao lado da bike lá chegámos aos planalto.
Aqui reinava uma calma magnífica e em breve estávamos rodeados por dezenas de garranos que pastavam em manadas espalhadas pelos prados verdejantes. Bonita visão a destes belos animais que nos olhavam curiosos e desconfiados.
Percorrido o planalto subimos à Pedra Alçada, local de onde se avistava Viana do Castelo, Vila Praia de Âncora, Caminha e Vila Nova de Cerveira, vendo o Rio Lima ao longe e o o Rio Minho e o mar bem mais perto. Bonita paisagem.
Chegados ao final do passeio fomos beber uma tacinha de verde branco ao café da vila. Nada como saborear os belos prazeres minhotos.
A tarde prometia, com uma mariscada em La Guardia, e se a promessa era interessante melhor foi quando nos colocaram aquelas travessas enormes à frente. Sim que isto de pedalar abre muito o apetite.

Domingo (08/Jun)

Saimos pela manhã em direcção à Galiza para fazer o circuito pedestre dos Muiños de Fólon e Picón. Durante duas horas caminhámos e pudémos observar um grande quantidade de moinhos de água, que situados num local tranquilo, onde apenas o som da água a correr perturba o silêncio mas ajuda a relaxar. O local é de grande beleza e o património é digno de ser observado. Já lá tinha ido com a Natália e a Andreia mas valeu bem a pena voltar a percorrer estes trilhos.
Depois e já de regresso a Portugal fomos comprar uns frangos de churrasco e deslocámo-nos para o parque de merendas à beira rio.
Surpresa agradável, o Pina Jorge e a esposa juntaram-se a nós neste repasto. É o retorno de um grande amigo e grande impulsionador das nossas aventuras. Infelizmente por motivos pessoais não nos tem podido acompanhar nos últimos tempos.


Mal acabámos de comer seguimos até ao miradouro do Cervo, onde se pode observar do alto a Vila Nova de Cerveira, o Rio Minho e a Galiza . Excelente paisagem.
Claro que agora não podíamos abandonar a zona sem escalar nestas paredes de granito agressivo. E assim foi, sob a batuta do mestre Pina Jorge divertimo-nos à grande naquelas vias.
Depois do jantar a família Pina Jorge regressou a casa e nós fomos digerir o jantar até às vias artificiais que existem no parque da vila.
Para azar o Cardoso começava a dar ares de estar a "chocar" uma gripezita.


Segunda-feira (09/Jun)

Pela manhã fomos até Valença em busca da extinta via férrea que ligava Valença a Monção e que foi encerrada em 1990.
Só eu e o Vicente é que pegámos nas bikes e nos aventurámos a seguir a actual Ecopista do Minho ao longo dos seus 13 Km e retorno. Infelizmente o Cardoso não estava na melhor forma e ficou em Valença com os restantes elementos do grupo.
A realçar a calma que se sente ao longo da via, que percorre campos de vinhas e arvoredo. Já na parte final a via junta-se ao belo Rio Minho que corre tranquilo separando Portugal da Espanha.
Um esquilo negro decidiu correr um pouco á nossa frente e executar uma escalada rocha acima a fazer-nos roer de inveja, por não escalarmos nem com um décimo da habilidade e destreza.
Pelo caminho visitámos a Torre de Lapela, local onde à vinda bebemos uma tacinha de vinho verde tinto, que nos animou e deu energia para o resto da viagem. Ainda aproveitámos para apreciar as velhas estações (algumas recuperadas, outras nem por isso) e para fazer uma visita ao exterior de um Mosteiro antigo e também ele em ameaça de ruir.
Por fim vimos a fortaleza de Valença e do outro lado do rio a de Tuy indicando-nos assim o fim do passeio.
De tarde ainda fomos espreitar as paredes de escalada de Penice mas não chegámos a escalar, regressando à Vila Nova de Cerveira onde descansámos no parque de lazer.
Depois do jantar e em estilo de despedida voltámos às paredes artificiais para mais um momento de diversão.

Terça-feira (10/Jun)

Uma vez que o Cardoso não apresentava melhorias decidimos não efectuar a caminhada aos Moinhos da Montaria, mas certamente que teremos muito mais oportunidade para o fazer.
Foi mais um belo fim-de-semana de grande convívio e diversão.
E era chegada a hora do regresso a casa, satisfeitos por mais estas "aventuras" mas com fome de muito mais...


video
Dia 2

video

03/05/2008

Nova Escalada na Freita



Desta vez só eu e o Cardoso é que resolvemos esfolar mais as mãos, os dedos e os joelhos. Começámos por escalar uma das vias mais fáceis com o objectivo de chegar às vias que ficam num patamar mais acima.
Já no local e com uma vista magnífica e bastante sugestiva, escalámos duas vias, que pela sua localização parecem bem mais altas e causam alguma tensão na fase inicial. No entanto nada que nos impedisse de as escalar.
Depois rapelámos até ao patamar que serve de topo às anteriores e daí até ao solo.
Cá em baixo ainda nos batemos com mais vias até que as forças se esgotaram e não deram para mais.
Foi um dia tranquilo, muito bem passado em luta nestas vias de escalada.
Já queremos é mais...

01/05/2008

Escalada na Serra da Freita


O dia estava cinzento e fresco a ameaçar chover, mas lá arriscámos a ir até à Serra da Freita. Por lá divertimo-nos a escalar algumas vias já nossas conhecidas, mas que nem por isso deixaram de dar luta. Experimentámos ainda mais um V grau que nunca tinhamos feito.
Quando apareceu o Sol e aqueceu o ambiente, tudo se tornou mais agradável dando mais ânimo para continuarmos a esfolar os dedos rocha acima.
Todos os presentes (Calé, Natália, Andreia, Cardoso, Manuela e Amaral) tiraram a barriga de misérias, mas ainda não estão satisfeitos e querem mais.
Parece que no Sábado pelo menos eu e o Cardoso lá vamos voltar.

Fotos

28/04/2008

Passeio ao Buçaco e Penacova

Após consulta ao novo guia de escalada decidi ir espreitar as vias de escalada em Penacova. Pelo caminho passámos pelo Buçaco e pela Portela do Oliveira, local onde existe um conjunto de vários Moinhos de Vento, alguns em bom estado. Neste local também se pode visitar o Museu do Moinho.
Após a passagem na Portela e obtidas as fotos dos moinhos, seguimos para Penacova a fim de procurar as ditas vias de escalada. Aqui é que após olhar atento ao guia verifiquei que a maioria delas são de escalada clássica e não desportiva.
Algo desanimado lá fui com o Cardoso procurar um dos sectores que tem duas vias desportivas de graus acessíveis. Para lá chegar, encosta acima em trilho degradado e difícil, suámos as estopinhas carregados com o material.
Depois de descobrir as ditas vias lá abri a primeira sem grandes problemas, um IV+, e de seguida o IV grau que faltava, sendo depois imitado pelo Cardoso. O local não é de acesso fácil, mas as vias são interessantes (infelizmente não fotografámos esta parte).
Com o gostinho ao dedo feito, fomos primeiro almoçar e depois visitar o conjunto de Moinhos da Serra de Gavinhos. Claro que nasceu logo a ideia de ligar estes dois conjuntos de moinhos a mais um terceiro (os da serra da Atalhada) em BTT.
Quem sabe se entretanto equipam mais umas vias acessíveis para também podermos fazer o gostinho ao dedo.



07/04/2008

Marcha de Montanha - Trilho dos Incas


O Trilho dos Incas é para mim um dos mais bonitos trilhos da Serra da Freita. Longo, duro, bonito, tem de tudo o que se pode querer numa actividade de Montanhismo.
Eram 9 horas de Sábado e o grupo de 5 elementos (Calé, Vicente, Cardoso, Amaral e Rui) lá se encontrou em Arouca para a realização de uma marcha de dois dias. Seguimos então até à Póvoa das Leiras onde, após os últimos retoques nas mochilas, lá partimos em direcção ao dito trilho.
O dia estava fantástico, ensolarado e nesta fase com uma temperatura amena.
Pouco tempo depois já percorriamos a parte que dá nome ao trilho, por ter algumas parecenças, salvo as devidas proporções, ao famoso Inca Trail.
Chegados à Serra da Ribeira o horizonte alargou-se e começou-se a desfrutar de uma paisagem magnífica.
Infelizmente a "praga" das eólicas, postes e cabos de alta tensão também já invadiram este paraíso, mas nem quero comentar isso.
Caminhámos então ao longo da serra em direcção à aldeia de Covelo de Paivô, que se dislumbrava ao longe e lá em baixo.
A descida massacrava-nos as pernas. Também o peso das mochilas já se fazia sentir nos ombros e costas. Uma paragem para comer e beber qualquer coisa deu para descontrair enquanto observávamos o rio que corria ao fundo, com inúmeras cascatas e poços excelentes para dar um mergulho.
Finalmente a descida acabou e atravessámos o rio Paivô, começando então a subida até ao trilho que liga à aldeia de Regoufe. Agora era o calor que nos castigava e o Sol mordia-nos as carnes, enquanto subiamos penosamente por caminhos nem sempre muito bons.
A paisagem continuava a ser deslumbrante, acompanhando primeiro o Rio Paivô e depois a ribeira de Regoufe. Uma nova paragem à sombra de um velho castanheiro ajudou a refrescar um pouco e logo a seguir chegámos a Regoufe. Aí fomos logo à tasca beber umas cervejinhas bem frescas e descansar um pouco.
Depois reabastecemos de água e subimos até ao alto de Regoufe e descemos para o Pego, local previsto para o acampamento.
Mais um trilho de paisagem maravilhosa este que nos leva ao rio. A passagem na já decadente e pouco segura ponte de madeira animou a festa.
Já na chegada ao local do acampamento, talvez pelo cansaço das horas de marcha, pela carga que transportava e pelo calor o Vicente escorregou e para azar tem uma entorce no pé direito. Esta situação, atendendo ao local em que estávamos poderia ter tido contornos bem mais desagradáveis.
Com mais um esforço lá chegámos ao rio e ele aproveitou para colocar o pé na água fria a fim de minimizar o inchaço que já alastrava pelo tornozelo.
Aproveitámos para nos resfrescar nas águas geladas e apenas o Cardoso conseguiu dar um mergulho. Frescos e mais descansados montámos o acampamento e fomos preparar o jantar, que o dia tinha sido desgastante e a alimentação escassa.
Aqui vem a parte maravilhosa dos dotes culinários deste pessoal. O Amaral preparou uma punheta de bacalhau com alho, cebola e até azeitonas, O Cardoso esparguete à milanesa, eu arroz com carne de búfalo seca. No final o Vicente apresentou uma bela e saborosa manga e o Cardoso ainda fez arroz doce (é verdade com canela e tudo). Até parecia que estávamos num belo restaurante).
Um pouco de conversa e estava na hora do descanso.
Depois de uma noite mal dormida, como todas as que passo em tendas lá chegou a hora da alvorada.
Devido ao problema com o pé do Vicente resolvemos que ele voltaria para trás até Regoufe acompanhado pelo Cardoso e pelo Rui enquanto eu e o Amaral subiriamos em direcção à Póvoa das Leiras para recuperar o carro.
Como a nossa parte era a mais "dura", aliviámos carga para os dois "acompanhantes" e partimos deixando-os a desmontar o acampamento.
Depois de tentarmos a passagem por um velho trilho, e de verificármos que o mato não nos ia facilitar a vida, decidimos voltar atrás e abordar a subida à bruta. E assim foi, com um desnível bem acentuado fomos galgando terreno, não sem parar umas quantas vezes para respirar e acalmar o coração que galopava nos peitos. Depois de encharcar bem as camisolas lá subimos a serra, de patamar em patamar, até ao alto da cota.
Enquanto subiamos iamos observando, do outro lado da encosta, o trio a evoluir lentamente trilho acima até ao alto de Regoufe.
Quando finalmente chegámos à Póvoa das Leiras, bebemos mais uma cervejinha no café e partimos em direcção a Regoufe, via Portal do inferno (lugar lindo com os seus penhascos) a recuperar os restantes elementos.
Já em Arouca juntaram-se a nós a minha família e o Amaral retirou-se para uma feijoada que o esperava em casa (que pena que temos dele... :) )
No final, e como sempre, acabámos a comer um belo cozido à portuguesa e uns saborosos nacos de carne arouquesa com feijão, obviamente bem regados.
Cansados, doridos e empenados mas bem satisfeitos e já com vontade de preparar outra para breve.


Fotos da marcha

Video 1º dia:

video

Video 2º dia:
video

29/03/2008

Mais um treino de BTT...


A ideia era termos ido ao Gerês pedalar na Geira Romana mas as previsões para Domingo poderiam afectar a actividade do segundo dia. E como queremos lá ir fazer dois dias completos em actividade adiámos para uma próxima oportunidade.

De qualquer forma não ficámos parados e fomos fazer mais um treino a Sernada, aproveitando para espreitar o interior das Minas da Malhada.
Pelo caminho o Amaral partiu o desviador da bike e depois passou o tempo a divertir-se a colocar a corrente no sitio e ela a saltar fora. Bom passatempo...
Se estivessemos na Geira Romana era caso para dizer que "este romano está louco...", mas como estávamos em Sernada nem sei o que dizer!!!!

Fotos

Video:

video

22/03/2008

Treino de BTT


Mais um treino de BTT em Sernada do Vouga, desta vez entre chuva e lama. Depois de ontem caminharmos e escalarmos num bonito dia de Sol, hoje resolvemos tomar banho numa água gelada mas em boa quantidade, enquanto rolávamos sobre enormes poças de água e lama. No final as bikes e nós estávamos "impróprios para consumo".


Uns verdadeiros porcos, sujos, feios e maus...


21/03/2008

Caminhada no Vale do Poio e Escalada na Redinha



Hoje fomos até à Redinha para fazer duas actividades. O dia esteve bonito e ideal para a realização de uma caminhada, em ritmo acelerado de marcha, pelo sempre bonito Canhão do Vale do Poio. A proliferação de vias de escalada naquela zona fomentaram a limpeza do mesmo sendo agora possível caminhar à vontade. Antigamente atravessava-se uma zona de mato denso, por vezes difícil de transpôr.
Depois de duas horas de caminhada fomos até às paredes com o objectivo de escalar umas vias e convencer o Vicente a fazer uma via completa.
Coube-me a mim abrir a primeira via, via essa já sobejamente conhecida e de grau baixo (IV) que foi bastante dificultada pela rocha gelada. A meio da via já não sentia as mãos e tive alguma dificuldade. Depois seguiram-se o Cardoso e o Alexandre que se debateram com o mesmo problema.
Passámos então para um grau III a fim de "iniciar" o Vicente nestas andanças. Depois de aberta a via lá começou, a princípio algo relutante, mas aos poucos foi ganhando confiança até ao Top. Mal acabou de descer voltou logo a pedir para a voltar a fazer. E assim foi, nova ascensão desta vez sem grande dificuldade.
Abri o IIIº grau a seguir e ele efectuou mais duas ascensões. De seguida tentou um IV grau, mas vai ter que lá voltar para o "domar". Já está viciado.

Mais duas vias e demos por terminado o dia. Doridos mas bem satisfeitos acabámos, como sempre, na comezaina.

E amanhã há mais, que as Bikes já foram afinadas e temos que justificar o investimento.

Fotos

Video:

video

09/03/2008

BTT Minas da Malhada

Novamente na zona de Sever do Vouga para mais um treino que desta vez tinha como objectivo secundário a procura de novos trilhos e os vestígios das Minas da Malhada. No final conseguimos 45 km's de treino em bons trilhos, dos quais em pelo menos metade nunca tinhamos pedalado. Mais uma passagem pela nossa história abandonada e em vias de desaparecer marca a visita às Minas.

08/03/2008

Escalada nas Fragas do Tecto - Valongo


Em Valongo existem vários locais para a prática desta modalidade. Neste dia a escolha recaiu nas Fragas do Tecto. O acesso não é fácil mas proporciona um excelente aquecimento até à base das paredes.
Depois o local proporciona uma vista maravilhosa sobre o vale e o rio que corre ao fundo.
As vias variam entre o IV e o 6b e oferecem, a escaladores como nós, a dureza que baste para darmos por bem empregue as horas que lá passamos.
O grupo foi constituido por mim, Rui, Cardoso e Vicente (ainda não foi desta que convencemos o Vicente a experimentar, mas também ainda não desistimos).

video

02/03/2008

Visita às Minas do Braçal (Sever do Vouga)

Mais um treino (Calé, Vicente e Cardoso) em duas rodas pedalantes e mais uma vez na zona de Sever do Vouga. Desta vez aproveitámos a passagem nas Minas do Braçal e fomos dar um espreitadela nos seus vestigios. A envolvente é bonita e as ruínas, quais fantasmas por entre a vegetação, "contam-nos" histórias de tempos rudes e difíceis que mereciam melhor maneira de ser relembrados.

Este património abandonado que vamos encontrando ao longo das nossas aventuras fazem-me pensar se um Povo que não preserva a sua historia e o seu património e não conhece nem exalta o seu passado não acabará como os seus vestigios?




LINKS: já arranjei os links quebrados do Blog.

01/03/2008

Pedestrianismo e Escalada na Serra da Freita


Bonito o dia e excelentes os momentos passados na Serra da Freita. Começámos (Calé, Natália, Borges, Cardoso, Manuela e Vicente) por uma caminhada tranquila em redor de Albergaria da Serra. Já a algum tempo que não me deliciava a caminhar por estes trilhos.
Depois de umas horitas a caminhar fomos desenferrujar nas paredes de escalada perto da Mizarela.
Juntaram-se então a nós o Marcelino com os dois filhotes e todos juntos, lá nos entretivémos nas vias mais fáceis, numa tentativa de recuperar a confiança e alguma técnica, que a paragem foi longa.


O Vicente ensaiou os primeiros passos nesta modalidade e penso que continuará a acompanhar-nos nas próximas escaladas. E a próxima é já no próximo Sábado em Valongo.
Amanhã será a vez das BTT em mais um treino em Sernada do Vouga

23/02/2008

BTT em Sernada do Vouga

Depois de uma longa paragem temos vindo a efectuar alguns treinos de BTT com o objectivo de recuperar a boa forma física a tempo de realizar um conjunto de actividades que temos na ideia concretizar muito em breve.

Desta vez eu e o Vicente juntámo-nos ao Amaral, e a um casal seu amigo, e fomos para a bonita zona entre Paradela e Sernada do Vouga.
Depois de percorrer a ciclovia que percorre a antiga via férrea do vouguinha, dirigimo-nos às ruínas das Minas do Braçal e daí demos por nós a subir os trilhos da serra.
Depois de alguns km's a subir, o que nos custou ainda um bocado fazer, chegámos ao topo da serra onde se podem observar, em alguns pontos, belas vistas em redor.
Depois do "sofrimento" da subida veio o gozo e a adrenalina da aceleração pelas boas descidas em trilhos de boa qualidade até nos encontrarmos de novo na ciclovia. Daí até Paradela foi um saltinho, salientando a passagem na Ponte de Santiago, local de muita beleza sobre o Rio Vouga.
No final a cervejinha preta da praxe e umas bifanas recompuseram o físico e a alma.




11/02/2008

Montalegre, Pitões das Júnias, Lindoso e Gerês
















Este fim-de-semana decidimos rumar a Montalegre (Calé, Natália, Andreia e Vicente) onde previamos que a neve se tinha estabelecido. A ideia era caminhar um pouco pelo Gerês e fazer umas belas fotografias na paisagem nevada.
Chegados lá a desilusão foi total, pois nem "farrapo" de neve se via.
Rumámos a Pitões das Júnias com uma réstia de esperança, mas nem aí a sorte nos bafejou.
Fomos então procurar as famosas ruínas do Convento de Santa Maria e a cascata do Ribeiro do Campesino, tendo ocupado a manhã nesta pequena caminhada.
Depois fomos ao "Restaurante do Preto" encher a barriga com o famoso cozido à portuguesa.
Uma pequena volta pela a aldeia e no ar a ideia de aproveitar o Domingo para fazer a subida à capela de Santo António.
Até aqui tudo corria bem, mas infelizmente o cozido foi forte demais e acabei com a Natália no hospital, a levar soro. A visícula não resistiu às fortes carnes e ao vinho transmontano.
No Domingo, já com ela recuperada mas a caldinhos, decidimos alterar o programa. Partimos em direcção a Espanha e entrámos em Portugal pelo Lindoso. Aí fomos fotografar os famosos espigueiros (em grande concentração) e o Castelo (fechado apesar de no horário afixado indicar que devia estar aberto).
Seguimos depois pela serra até Vilarinho das Furnas onde aproveitámos para fotografar parte da Geira Romana que acompanha a Albufeira até à Portela do Homem.
No final e porque fui chamado ao serviço ainda visitámos o Pólo do Museu do Ar na Base de Maceda.
Não houve neve mas não faltaram peripécias durante o fim-de-semana.