Pedalando pelo GR28

A serra a arder perto do Merujal, 07 de Agosto de 2010.

Serra do Gerês

Caminhando entre Garranos, de 07 a 08 de Maio de 2005.

Serra de São Macário

Escalada na Pena, 15 de Setembro de 2013.

Serra da Estrela

I Travessia em autonomia total - Guarda - Loriga, de 12 a 16 de Abril de 2004.

Linha do Dão - Ponte de Nagoselas

Travessia BTT pelas Linhas do Dão e Vouga, de 09 a 11 de Abril de 2009.

Caminhos de Santiago

Travessia do Rio Lires no Caminho de Finisterra, de 29 a 31 de Julho de 2010.

Serra de Montemuro

Nas Minas de Moimenta, 29 de Janeiro de 2011.

Linha do Corgo - Ponte do Tanha

Travessia da Linha do Corgo, de 06 a 10 de Outubro de 2013.

Serra do Caramulo

Nas neves do Caramulo com vista para a Serra da Estrela, 04 de Dezembro de 2010.

Aldeias Históricas

De BTT em autonomia total pelo GR22, de 28 de Abril a 01 de Maio de 2006.

Linha do Vouga...

29/08/2016

Trilho dos Moinhos - Sever do Vouga


Tendo lido uma notícia da Câmara de Sever do Vouga, publicada no Diário de Aveiro, sobre o sucesso em número de visitantes no percurso pedestre "Trilho dos Moinhos", decidimos percorrer o dito percurso.

O mesmo começa e acaba junto da Igreja de Paradela, local para onde nos dirigimos.

Os cerca de 9 Km’s que compõe o percurso, com excepção da zona dos moinhos da Ribeira de Carrazeda, pouco tem de interessante.

A fazer fé na dita notícia esperar-se-ia umas paisagens de estarrecer, o que, sinceramente, não nos pareceu.

Também não encontrámos nenhum moinho ainda activo, como consta da descrição oficial do percurso. No entanto, é possível que para se verem ser necessário sair do trilho para mais perto do curso de água. Talvez não o tenhamos feito no lugar certo.

Pelo menos serviu para conviver, fazer um pouco de desporto e para desanuviar um pouco do stress da semana.

24/08/2016

Serra da Estrela - Trilho das Grandes Lagoas


Partimos ainda no Sábado para a Serra da Estrela, tendo pernoitado na Pousada da Juventude, nas Penhas da Saúde. A intenção era poder começar a caminhada bem cedo por um percurso que nos parecia muito aliciante dado percorrer algumas da maiores lagoas da serra. 

O grupo foi formado por sete elementos, a Sara, a Sãozita, o Pina Jorge, o Amaral, o Tiago, o Zé Figueiredo e o Francisco.

Iniciámos a caminhada junto à Lagoa Comprida. O céu limpo e o tempo fresco tornaram a  caminhada muito agradável e a paisagem com vista para a lagoa tornaram o início do passeio espectacular.

Seguimos depois na direcção da barragem do Covão dos Conchos onde aproveitámos para usufruir da paisagem envolvente. Também apreciámos, o agora famoso buraco negro, um poço existente no meio da albufeira que recolhe a água, a partir de determinado nível, encaminhando-a para a Lagoa Comprida. A água corre através de um túnel com mais de 1500 metros de comprimento, construído em 1955.

Retomámos o caminho seguindo para o Vale do Rossim, passando pelo Vale do Conde onde atravessámos a linha de água, seguindo por um trilho bem assinalado. Pelo caminho pudemos observar a Fraga das Penhas Douradas e apreciar a vista deslumbrante para Oeste, podendo ver a Serra do Caramulo.
Nesta fase do dia o calor fazia-se sentir.

A descida até à barragem do Vale do Rossim fez-nos recordar a actividade Guarda – Loriga em autonomia que realizámos em 2014. 

No Vale do Rossim uma pequena paragem para ver as praias fluviais, plenas de pessoas a usufruir das águas frescas da lagoa.

Partimos por um trilho de pedra solta, na direcção do Lagoacho. Este trilho massacrou-nos os pés.

Contornámos a albufeira em busca de um trilho que deveria subir por uma linha de água. Não o tendo encontrado houve que tomar decisões. Apontámos na direcção da Lagoa Seca, subindo a encosta.  

A subida revelou-se bastante difícil em virtude de muitas vezes termos de abrir caminho pela vegetação e outras progredir, quase em escalada, pelas rochas que íamos trepando para evitar o mato.

Depois de uma subida bastante dura pois, para além do esforço e do calor que se fazia sentir, a água começou também a ser escassa.

Finalmente lá chegámos ao cume, onde já se pode avistar a Lagoa Comprida.

Seguimos para a Lagoa Comprida pelo caminho que liga esta lagoa à lagoa do Covão do Forno. Pelo caminho desaconselhámos três casais de jovens estrangeiros que, sem equipamento de montanha nem água suficiente, pretendiam fazer o trilho às 18 horas da tarde.

Já na Lagoa Comprida acabámos por comer umas tapas e beber muitas cervejas, enquanto ouvíamos os doutos conselhos do proprietário do bar sobre trilhos na Serra da Estrela. Não nos convenceu muito!

Actividade complicada e mal descrita, no sítio de onde recolhemos a informação, mas que acabou por ser um excelente teste à capacidade física e ao espírito de grupo de todos os elementos que fazem parte deste grupo. Sinto-me orgulhoso!


Francisco Soares

14/08/2016

Serras de Portugal - A Serra da Estrela (em novo formato)...


A Serra da Estrela é uma cadeia montanhosa de Portugal Continental onde se encontram as maiores altitudes, constituindo a sua segunda mais alta montanha, cuja cota máxima de altitude é atingida aos 1.993 metros junto à Torre, apenas superada pela Montanha do Pico, nos Açores, com 2.351 metros.

Pertence à mais vasta cordilheira denominada Sistema Central, no subsistema designado por Sistema Montanhoso Montejunto-Estrela, que se desenvolve no sentido Sudoeste-Nordeste desde a Serra de Montejunto, e tem, como cume-pai, o Pico Almançor.

Integrada no Parque Natural da Serra da Estrela desde a sua instituição, em 16 de Julho de 1976, representa a maior área protegida em solo português.

A Serra da Estrela insere-se em seis municípios: Covilhã, Manteigas, Gouveia, Seia, Celorico da Beira e Guarda.

Os principais pontos de interesse desta serra encontram-se no cume principal, os quais são abrangidos pelos quatro primeiros concelhos supracitados. Situa-se maioritariamente no distrito da Guarda, com cerca de 85% de área, situando-se os restantes 15% no distrito de Castelo Branco.

Povoada desde a Idade Média, encontram-se numerosos vestígios da sua ocupação: os romanos construíram uma via de ligação entre Mérida e Braga, os árabes deixaram sistemas de rega e a cultura das árvores de fruto e os visigodos a organização do espaço rural através do "Código Visigótico".

Actualmente, a economia na Serra da Estrela centra-se no turismo, na agricultura, na pastorícia e no fabrico do famoso queijo da Serra.


A neve, a fauna e flora extraordinárias, a orografia de proporções colossais onde abundam vales em forma de "U", covões e lagoas de origem glaciária, bem como a sua riqueza humana, cultural, histórica e a vasta gastronomia da região, são excelentes polos de atracção turística desta serrania.

Publicamos agora, no novo formato, as páginas desta serra emblemática e de características muito próprias, bem como as Fichas Técnicas de actividades por nós lá realizadas.

06/08/2016

Serras de Portugal - A Serra de São Macário (em novo formato)...


Parte integrante do Maciço da Gralheira juntamente com a Serra da Freita, Serra da Arada e a Serra do Arestal, a Serra de São Macário é uma elevação de Portugal Continental, cujo ponto mais elevado se situa a cerca de 1.052 metros de altitude, cota atingida no Alto de São Macário.

Esta serra encontra-se localizada a pouco mais de 10 km a Norte de São Pedro do Sul.

No ponto mais alto desta serra foi edificada uma primitiva ermida, a de São Macário de Cima. Em 1769 foi edificada uma outra, a uns metros mais abaixo e também dedicada ao mesmo santo, conhecida por ermida de São Macário de Baixo.

Do cume da Serra de São Macário pode observar-se uma bonita e abrangente paisagem que inclui as serras de Montemuro e Caramulo, assim como parte da bacia do Rio Vouga.

Com excelentes trilhos para a prática de diversas actividades é esta serra merecedora de um espaço nas nossas páginas.

Publicamos assim a informação sobre a serra, seu património natural e património histórico/religioso, bem como, os percursos por nós lá realizados.