Pedalando pelo GR28

A serra a arder perto do Merujal, 07 de Agosto de 2010.

Serra do Gerês

Caminhando entre Garranos, de 07 a 08 de Maio de 2005.

Serra de São Macário

Escalada na Pena, 15 de Setembro de 2013.

Serra da Estrela

I Travessia em autonomia total - Guarda - Loriga, de 12 a 16 de Abril de 2004.

Linha do Dão - Ponte de Nagoselas

Travessia BTT pelas Linhas do Dão e Vouga, de 09 a 11 de Abril de 2009.

Caminhos de Santiago

Travessia do Rio Lires no Caminho de Finisterra, de 29 a 31 de Julho de 2010.

Serra de Montemuro

Nas Minas de Moimenta, 29 de Janeiro de 2011.

Linha do Corgo - Ponte do Tanha

Travessia da Linha do Corgo, de 06 a 10 de Outubro de 2013.

Serra do Caramulo

Nas neves do Caramulo com vista para a Serra da Estrela, 04 de Dezembro de 2010.

Aldeias Históricas

De BTT em autonomia total pelo GR22, de 28 de Abril a 01 de Maio de 2006.

Serra do Alvão - Fisgas do Ermelo...

16/12/2007

BTT em Linhares-da-Beira


No âmbito do nosso projecto das Aldeias Históricas (consultar Projectos), fomos até à bonita aldeia de Linhares-da-Beira onde decidimos percorrer dois trilhos que fazem a ligação à aldeia de Folgosinho.
Os percursos que decidimos percorrer foram o "Percurso dos Viveiros" e o "Percurso da Calçada", constantes na Carta de Lazer das Aldeias Históricas.
Partimos de Linhares-da-Beira em direcção a Folgosinho através da Calçada Romana e pelo caminho cruzámo-nos com um grande número de Motos 4 e outras que estavam a fazer um raid na serra. Mais à frente um grupo de Jipes fazia a mesma coisa. Sempre com cautela lá nos fomos cruzando com eles sem qualquer problema. Também a salientar o cuidado que eles tiveram sempre que nos viam a aparecer.
Claro que o passeio tinha que ter alguma aventura, e tudo começou quando entrámos pelo trilho errado e a partir de uma certa altura não faziamos grande ideia em qual trilho estávamos. Isso custou-nos uns Km's a mais nas pernas, o que faz parte do "jogo".
Mantivémos sempre Folgosinho à vista e lá corrigimos a situação. Quando voltámos a identificar o local onde estávamos percebemos que tinhamos percorrido o percurso previsto para a parte da tarde. Agora havia que tomar decisões e a mais óbvia era fazer o percurso que faltava (e que era aquele que deviamos ter feito da parte da manhã).
Antes de partir de Folgosinho, comemos uns pedaços de leitão e bebemos uns tintos, e um arroz doce de lamber os beiços. Depois descemos até aos viveiros e em seguida digerimos a refeição encosta acima, numa subida longa e por vezes algo acentuada. Aqui a partir de certo ponto a paisagem é magnífica com Folgosinho "lá em baixo" e uma vista fantástica.
Lá voltámos a encontrar os Jipes e mais à frente surgiram novamente algumas dúvida na direcção a seguir. Resolvido o problema e já com Linhares à vista no horizonte, lançámo-nos encosta abaixo até finalmente encontrármos as Minas dos Azibrais, um complexo mineiro abandonado e em ruínas.
Continuámos a longa descida até que resolvemos atalhar por um trilho mais a nosso gosto, onde a dificuldade física aumentou, mais técnico, e que nos conduziu a Linhares-da-Beira, já começava a ficar escuro e bastante mais frio.
Foi uma aventura mesmo a nosso gosto, apimentada pelos "desnortes" e pelas tomadas decisões que tivémos que ir tomando ao longo do percurso, mesmo quando as mesmas nos foram custando alguns dolorosos Km's a mais.
Enquanto nós "sofríamos" trilhos acima as acompanhantes deliciavam-se a passear por Gouveia e Seia onde visitaram o Centro de Interpretação da Serra da Estrela e puderam assistir a uma visita virtual à serra da Estrela e a uma exposição de insectos do Mundo inteiro. Visitaram ainda uma queijaria onde puderam ver como se fabrica o queijo da serra e um lagar de azeite.

Foi, segundo as próprias um dia muito agradável de conteúdo cultural e gastronómico muito interessante.
No regresso a Aveiro ainda nos fomos castigar com um cabritinho muito bem regadinho. Viva o desporto aventura...

Fotos do passeio em BTT

08/12/2007

BTT na Serra do Caramulo


Bela serra esta para percorrer sobre rodas. Descidas e subidas técnicas e duras quanto baste para deixar marcas nas pernas e na alma.
Depois de um começo a frio entre Cadraço e o Caramulinho (ponto mais alto da serra), entrámos então pelos belos trilhos da serra.
O Sol brilhava nos pontos altos mas nos vales predominava o nevoeiro e algum frio.
O passeio correu bem não sem penarmos numa bela subida em que as bikes rolaram ao nosso lado, arrastadas trilho acima.
Esta actividade fica também marcada por ser a última organizada por mim na Secção de Montanhismo da AAPB. Oficialmente foi este o fim da Secção e o final de oito anos de organização e acompanhamento, como guia, de inúmeras actividades de Montanhismo e BTT.
É, segundo espero, o final de um projecto e o início de muitos outros que tenho em mente na companhia do "núcleo duro" que me acompanhou nesta aventura da AAPB.