Pedalando pelo GR28

A serra a arder perto do Merujal, 07 de Agosto de 2010.

Serra do Gerês

Caminhando entre Garranos, de 07 a 08 de Maio de 2005.

Serra de São Macário

Escalada na Pena, 15 de Setembro de 2013.

Serra da Estrela

I Travessia em autonomia total - Guarda - Loriga, de 12 a 16 de Abril de 2004.

Linha do Dão - Ponte de Nagoselas

Travessia BTT pelas Linhas do Dão e Vouga, de 09 a 11 de Abril de 2009.

Caminhos de Santiago

Travessia do Rio Lires no Caminho de Finisterra, de 29 a 31 de Julho de 2010.

Serra de Montemuro

Nas Minas de Moimenta, 29 de Janeiro de 2011.

Linha do Corgo - Ponte do Tanha

Travessia da Linha do Corgo, de 06 a 10 de Outubro de 2013.

Serra do Caramulo

Nas neves do Caramulo com vista para a Serra da Estrela, 04 de Dezembro de 2010.

Aldeias Históricas

De BTT em autonomia total pelo GR22, de 28 de Abril a 01 de Maio de 2006.

Sanabria - Peña Trevinca...

15/09/2013

Serra de São Macário: Escalada na Pena


Hoje fomos até à Serra de São Macário para fazer escalada nas vias da Pena.

O grupo constituído por mim, pelo Pina Jorge, Francisco, DJ e Bruno lá carregou as tralhas serra acima, até chegar às vias.

Pessoalmente foi a primeira vez que vim à Pena para escalar. Apesar de saber que existia esta escola de escalada não sabia ao certo onde ficavam as vias. E foi com agradável surpresa que constatei que o local é fantástico, com uma paisagem maravilhosa e com umas vias muito interessantes.

A vontade de lá voltar é muita e a de voltar a fazer algumas das vias e experimentar outras novas é imensa.

Um dia muito bem passado nesta magnífica serra e neste local de escalada.

08/09/2013

Na Serra de São Macário



 
Hoje eu e o Francisco começámos por decidir ir escalar à Pena (São Macário), mas como não conhecemos a localização das vias e estávamos só os dois acabámos por decidir fazer, também pela zona, uma caminhada.

Assim partimos cedo para a aldeia da Pena e de lá percorremos o trilho "onde o morto matou o vivo" até Covas do Rio. De Covas do Rio seguimos até ao lugar de Serraco, subindo depois a serra na direcção de Covas do Monte.

Esta parte foi feita inicialmente por estradão até repararmos que ao lado existia um velho trilho empedrado.

Este acompanhava o traçado do novo estradão, mas numa cota superior. Assim saímos da terra batida para a pedra, facto que não nos arrependemos minimamente.

O trilho acabou às portas de Covas do Monte, onde lá tivemos que voltar ao dito estradão, felizmente na sua parte final.

Em Covas do Monte passámos pela antiga escola primária, actualmente convertida em restaurante, onde nos refrescámos com uma cervejinha fresquinha.

Penámos depois durante a subida pela íngreme encosta, em corta-mato, evitando sempre que possível a estrada.

Confesso que a subida me deixou abalado. Quando cheguei à estrada junto ao início do trilho para a Pena só me apetecia era acabar por ali. 

Continuámos, no entanto, a meia encosta, até perto da aldeia, efectuando depois a descida final até à linha de água que antecede o casario, e daí subimos até ao carro. A vontade de continuar a caminhar era tanta que a ideia de ir procurar as vias de escalada ficou para outra oportunidade.

No final e como não podia deixar de ser ao Domingo, a passagem obrigatória por Moldes para a malga de dobrada ou de sopa da pedra e o branquinho fresquinho.

Aí já nenhum de nós se voltou a lembrar da tal subida...