Pedalando pelo GR28

A serra a arder perto do Merujal, 07 de Agosto de 2010.

Serra do Gerês

Caminhando entre Garranos, de 07 a 08 de Maio de 2005.

Serra de São Macário

Escalada na Pena, 15 de Setembro de 2013.

Serra da Estrela

I Travessia em autonomia total - Guarda - Loriga, de 12 a 16 de Abril de 2004.

Linha do Dão - Ponte de Nagoselas

Travessia BTT pelas Linhas do Dão e Vouga, de 09 a 11 de Abril de 2009.

Caminhos de Santiago

Travessia do Rio Lires no Caminho de Finisterra, de 29 a 31 de Julho de 2010.

Serra de Montemuro

Nas Minas de Moimenta, 29 de Janeiro de 2011.

Linha do Corgo - Ponte do Tanha

Travessia da Linha do Corgo, de 06 a 10 de Outubro de 2013.

Serra do Caramulo

Nas neves do Caramulo com vista para a Serra da Estrela, 04 de Dezembro de 2010.

Aldeias Históricas

De BTT em autonomia total pelo GR22, de 28 de Abril a 01 de Maio de 2006.

Linha do Corgo...

16/12/2007

BTT em Linhares-da-Beira


No âmbito do nosso projecto das Aldeias Históricas (consultar Projectos), fomos até à bonita aldeia de Linhares-da-Beira onde decidimos percorrer dois trilhos que fazem a ligação à aldeia de Folgosinho.
Os percursos que decidimos percorrer foram o "Percurso dos Viveiros" e o "Percurso da Calçada", constantes na Carta de Lazer das Aldeias Históricas.
Partimos de Linhares-da-Beira em direcção a Folgosinho através da Calçada Romana e pelo caminho cruzámo-nos com um grande número de Motos 4 e outras que estavam a fazer um raid na serra. Mais à frente um grupo de Jipes fazia a mesma coisa. Sempre com cautela lá nos fomos cruzando com eles sem qualquer problema. Também a salientar o cuidado que eles tiveram sempre que nos viam a aparecer.
Claro que o passeio tinha que ter alguma aventura, e tudo começou quando entrámos pelo trilho errado e a partir de uma certa altura não faziamos grande ideia em qual trilho estávamos. Isso custou-nos uns Km's a mais nas pernas, o que faz parte do "jogo".
Mantivémos sempre Folgosinho à vista e lá corrigimos a situação. Quando voltámos a identificar o local onde estávamos percebemos que tinhamos percorrido o percurso previsto para a parte da tarde. Agora havia que tomar decisões e a mais óbvia era fazer o percurso que faltava (e que era aquele que deviamos ter feito da parte da manhã).
Antes de partir de Folgosinho, comemos uns pedaços de leitão e bebemos uns tintos, e um arroz doce de lamber os beiços. Depois descemos até aos viveiros e em seguida digerimos a refeição encosta acima, numa subida longa e por vezes algo acentuada. Aqui a partir de certo ponto a paisagem é magnífica com Folgosinho "lá em baixo" e uma vista fantástica.
Lá voltámos a encontrar os Jipes e mais à frente surgiram novamente algumas dúvida na direcção a seguir. Resolvido o problema e já com Linhares à vista no horizonte, lançámo-nos encosta abaixo até finalmente encontrármos as Minas dos Azibrais, um complexo mineiro abandonado e em ruínas.
Continuámos a longa descida até que resolvemos atalhar por um trilho mais a nosso gosto, onde a dificuldade física aumentou, mais técnico, e que nos conduziu a Linhares-da-Beira, já começava a ficar escuro e bastante mais frio.
Foi uma aventura mesmo a nosso gosto, apimentada pelos "desnortes" e pelas tomadas decisões que tivémos que ir tomando ao longo do percurso, mesmo quando as mesmas nos foram custando alguns dolorosos Km's a mais.
Enquanto nós "sofríamos" trilhos acima as acompanhantes deliciavam-se a passear por Gouveia e Seia onde visitaram o Centro de Interpretação da Serra da Estrela e puderam assistir a uma visita virtual à serra da Estrela e a uma exposição de insectos do Mundo inteiro. Visitaram ainda uma queijaria onde puderam ver como se fabrica o queijo da serra e um lagar de azeite.

Foi, segundo as próprias um dia muito agradável de conteúdo cultural e gastronómico muito interessante.
No regresso a Aveiro ainda nos fomos castigar com um cabritinho muito bem regadinho. Viva o desporto aventura...
video

Fotos do passeio em BTT

08/12/2007

BTT na Serra do Caramulo


Bela serra esta para percorrer sobre rodas. Descidas e subidas técnicas e duras quanto baste para deixar marcas nas pernas e na alma.
Depois de um começo a frio entre Cadraço e o Caramulinho (ponto mais alto da serra), entrámos então pelos belos trilhos da serra.
O Sol brilhava nos pontos altos mas nos vales predominava o nevoeiro e algum frio.
O passeio correu bem não sem penarmos numa bela subida em que as bikes rolaram ao nosso lado, arrastadas trilho acima.
Esta actividade fica também marcada por ser a última organizada por mim na Secção de Montanhismo da AAPB. Oficialmente foi este o fim da Secção e o final de oito anos de organização e acompanhamento, como guia, de inúmeras actividades de Montanhismo e BTT.
É, segundo espero, o final de um projecto e o início de muitos outros que tenho em mente na companhia do "núcleo duro" que me acompanhou nesta aventura da AAPB.

24/11/2007

Trilho dos Incas - Serra da Arada


Hoje decorreu o último passeio pedestre como Guia da AAPB. Este é um momento particularmente difícil para mim, dado que como "pai" desta Secção de Montanhismo a despedida não é a situação mais agradável. Contudo a vida continua e os projectos também são muitos pelo que o futuro certamente poderá trazer outras novidades e motivações.
O dia esteve fantástico, ensolarado mas algo frio, óptimo para reunir a maioria dos associados que ao longo dos anos têm participado nas nossas actividades, sinónimo da identificação destas pessoas com o "núcleo duro" que foi gerindo os destinos da Secção.
Partimos do Parque de Campismo da Fraguinha e percorremos uma pequena parte do trilho das Bétulas, entrando depois por uma zona rochosa e em seguida por uma linha de água de pedras muito escorregadias.
Durante mais de uma hora os montanheiros, devidamente enquadrados pelos guias, foram percorrendo a ribeira, numa luta constante por não escorregarem. Foram momentos muito interessantes, divertidos e de grande esforço para nos mantermos todos em pé.
Depois retomámos o caminho até ao interessante, bonito e paisagístico Trilho dos Incas.
As paisagens que este trilho e o topo da Serra da Ribeira nos proporcionam são deveras espectaculares.
A subida ao Alto da Cota já deixou algumas marcas de cansaço em alguns dos elementos mas ao chegar ao topo, os sorrisos que iluminavam os rostos indicavam a satisfação do grupo pelo passeio que tinham acabado de realizar. Depois foi caminhar até ao parque de campismo.
No final acabámos a confraternizar em volta de umas Maminhas de vaca na Pedra o que obviamente agradou a toda a gente.
Este passeio não será um adeus, mas sim um até breve em alguma serra deste país.

11/11/2007

Convívio BTT

Estava prometido um leitão e umas castanhas no dia de São Martinho. Claro que comer sem primeiro "dar ao cabedal" é coisa que não nos agrada pelo que, decidimos efectuar em BTT 55Km ligando a Gafanha da Encarnação à Praia de Mira e respectivo regresso.

Assim logo pela manhã juntámos os poucos voluntários a pedalar e lá seguimos viagem.
Logo no início um furo testou a capacidade mecânica dos participantes. Depois foi só pedalar até a Mira.
Enquantos os acompanhantes passeavam pela zona e assistiam à retirada das redes de pesca carregadas de peixe os betetistas percorriam o circuito em volta da lagoa e regressavam à Gafanha.
Claro que os Km's começaram a fazer mossa naqueles que não estavam tão habituados a estas lides.
No final o leitão e as castanhas assadas na caruma dos pinheiros retemperaram as forças e culminaram um dia muito agradável.

10/11/2007

Actividades na Serra da Freita

Hoje fui com a Secção de Montanhismo da AAPB fazer uma actividade prática de Orientação sob supervisão do meu amigo Carlos Rodrigues.

De mapa e bússola na mão lá fiz cálculos para determinar coordenadas geográfica, tirei rumos e azimutes, determinei declinações, e fui caminhando juntamente com o resto do grupo de ponto em ponto seguindo as técnicas específicas desta ciência. No final da actividade, e para aproveitar o belo dia que que se fez sentir aproveitámos para ir até a Escola de Escalada e escalar algumas das vias que por lá se encontram. Aproveitámos assim para iniciar nesta modalidade alguns dos elementos presentes, que se deliciaram a "trepar" aquelas rochas.


Mais um bom momento de convívio e de aventura.


01/11/2007

Manhouce e Serra da Arada



Hoje fomos a Manhouce percorrer um dos trilhos que por lá estão marcados. A aldeia, já nossa conhecida é agradável e tem alguns promenores interessantes.
Pelo caminho e apesar de também aqui e ali encontrarmos alguns motivos de interesse, ficámos com a sensação de que o passeio se tornava monótono. Percorremos alguns trilhos bonitos mas sem grande paisagem, sem património, sem grandes motivos que preenchessem de forma interessante os momentos da caminhada. Acabámos por abreviar caminho e desistir deste percurso.
Depois seguimos para a Serra da Arada, mais propriamente para o Parque de Campismo da Fraguinha e percorremos as suas redondezas onde nos divertimos mais com o espaço que enquadra este parque.
Daqui já nos surgiu a ideia daquele que provavelmente será o último passeio pedestre que vamos efectuar como guias da AAPB.



28/10/2007

BTT em autonomia (Linha do Vouga)


Há muito esperada, esta travessia em autonomia ao longo da Linha do Vouga, entre Sernada do Vouga e Viseu, decorreu este fim-de-semana. Foi um momento excelente em BTT, no qual percorremos estes quase 90 Km carregados com tendas, tachos, sacos-cama, etc, etc...
Partimos de Sernada no Sábado 7 aventureiros (3 deles apenas para nos acompanhar na primeira jornada) e pernoitámos em acampamento perto das Termas de São Pedro do Sul. No Domingo percorremos o restante até Viseu.
Deu-me muito gozo poder percorrer os trilhos desta extinta linha, com a felicidade acrescida de o fazer em mais de 98% dos trilhos originais.
Em breve parece-me que o alcatrão irá substituir os trilhos de terra batida, lama, pedra, e mato que deliciosamente percorremos. Para o futuro a ciclovia tomará conta destes trilhos e para mim acaba-se o interesse de a percorrer (bastava limpar e fazer-lhe alguma manutenção e já agora recuperar algumas das estações para apoio, mas o betão infelizmente parece ganhar terreno).

21/10/2007

Treino BTT entre a Gafanha e Mira

Hoje, num dia bonito mas bem frio (as minhas orelhas e dedos que o digam) fui logo pela manhã mais o meu amigo Vicente fazer um treino de BTT entre a Gafanha da Nazaré e a Praia de Mira. Em ideia temos a organização de um passeio convívio entre os betetistas da AAPB, pelo que fomos procurar trilhos interessantes para fazer esta ligação e respectivo retorno (infelizmente não abundam muitos trilhos por aqui).
No final e após cerca de 70 Km nas pernas ficámos quase satisfeitos com o percurso, embora haja ainda alguns pontos a corrigir.
Em Mira percorremos a ciclovia que contorna a Barrinha (lagoa) onde nos deliciámos a apreciar a quantidade e variedade da fauna (em especial aves) que por lá abunda.


20/10/2007

Pedestrianismo na Rota do Ouro Negro - Serra da Freita

Depois do reconhecimento efectuado por mim e pela Natália fomos como guias da AAPB a enquadrar um grupo pelos antigos trilhos de acesso às minas de Volfrâmio da Pena Amarela.
Continuo a achar que o passeio vale a pena pela paisagem envolvente ao local onde se encontram as minas.
Este passeio numa altura de chuvas, apesar de ser algo perigoso deve ser espectacular pela quantidade de linhas de água e pequenas cascatas que abundam neste local.
Depois da subida após as minas em vez de descermos até Rio de Frades optámos por tentar espreitar o vale por cima das falésias. E desafiado por alguns dos participantes lá subimos a encosta até nos depararmos com um miradouro natural (uma rocha grande exposta sobre o abismo) que nos proporcionou uma vista fantástica e que justificou o esforço e os arranhões para lá chegar.
Após o regresso e como já é tradição lá tivémos que nos esforçar para comer uma posta arouquesa.


Este passeio também fica marcado pela decisão de encerrar a Secção de Montanhismo da AAPB. A minha decisão de sair e o facto de não haver ninguém com disponibilidade para assumir a liderança da mesma, levará a que no final deste ano a mesma deixe de existir.
Para trás ficam 8 anos de dedicação e de realização de muitos eventos.
Em vez de perder tempo com lamentações tenho apenas que nos felicitar pelo que de bom fizémos, pelos muitos bons momentos que partilhámos na montanha, pelo que aprendemos e ensinámos durante este tempo, mas essencialmente pela quantidade de pessoas interessantes que conhecemos e com quem estabelecemos laços fortes de amizade.
Estou certo que nos iremos encontrar em muitas e boas aventuras que certamente continuaremos a realizar, apenas de uma forma mais autónoma e pessoal.

13/10/2007

BTT na Serra do Buçaco



Já não percorria os trilhos desta serra à 4 anos, altura em que também em BTT realizei este passeio pela última vez. O desafio de hoje era ver até que ponto a minha memória permitia percorrê-lo sem grandes dúvidas. E assim foi, embora sempre prevenido com a carta militar, liderei o passeio através de trilhos e aldeias sem grandes precalços.
Partimos do Palace Hotel percorrendo a Mata do Buçaco ao longo do Calvário até à Cruz Alta, ponto mais alto da serra com 550m. Depois ao longo do caminho visitámos o local onde em 1810, durante as invasões francesas, o General Arthur Wellesley duque de Wellington comandou as tropas luso-britânicas que derrotaram as tropas francesas na famosa batalha do Buçaco (a visita ao Museu Militar é também um bom momento a não perder).
Depois continuámos até à Portela da Oliveira onde pudémos observar um conjunto de vários moinhos de vento (onde podemos ver alguns em bom estado mas infelizmente também outros em completa ruína). É também aqui que está instalado o Museu do Moinho (já o visitei à quatro anos e vale a pena uma visita).
Em seguida continuámos a suar pelos trilhos que nos levaram de novo ao Palace Hotel, local donde iniciámos mais este passeio.

07/10/2007

Galiza - Muiños de Fólon e Picón


Bonito passeio este por terras galegas. O trilho dos Muiños de Fólon e Picón é de grande beleza paisagística e patrimonial.


Logo no início tivémos a sorte de encontrar o Sr. Alvarez , neto de um dos primeiros proprietários de vários dos moinhos (sendo ele um dos proprietários actuais), que nos abriu um deles e nos mostrou e explicou o seu funcionamento e contou a sua história. Um momento que abrilhantou este passeio.


Depois foi subir e descer ao longo do trilhos e deliciar-nos com a bonita paisagem e com os 67 moinhos que compõe o conjunto total.


Num deles está gravada a bonita data de 1715 (embora haja registos de existências anteriores), o que indicia a possibilidade de estarmos perante uma das maiores indústrias de moagem da Galiza, quem sabe até da Península Ibérica nos Séculos XVII e XVIII.


Foi mesmo um passeio agradável de dificuldade baixa e de curta duração mas de grande interesse paisagístico e cultural.





Fotos do passeio

05/10/2007

Serra da Freita - Rota do Ouro Negro


Hoje fui mais a Natália percorrer este percurso pedestre marcado pela Câmara municipal de Arouca.
Partimos de Fuste por trilhos rurais que depois descem até à pequena aldeia de Pedrógão. Daí seguimos até às antigas Minas de Volfrâmio (Ouro Negro) da Pena Amarela. Apesar de já termos percorrido várias minas no Maciço da Gralheira desconheciamos a existência destas.
A zona envolvente destas minas é de uma beleza enorme. O trilho que as percorre é de pé posto, sempre exposto sobre o rio e com uma vista em redor fantástica.
Depois das minas subimos a encosta mas decidimos não descer até Rio de Frades, dado que a partir do alto da serra não nos pareceu muito interessante essa parte. É pena o percurso ser linear o que nos obriga a regressar pelo mesmo caminho. No entanto a beleza da descida da encosta para as minas é a não perder.

Percurso interessante que levaremos a cabo com a associação em breve.


28/09/2007

Pela praia da Barra até à Praia da Vagueira



















Aproveitei este meu dia de aniversário para juntamente com o meu pai e um amigo caminharmos pelo areal e junto ao mar, entre a Praia da Barra e a Vagueira.
O dia esteve óptimo e a caminhada decorreu calma, aproveitando nós para respirar o ar do mar. É um percurso bonito e relativamente curto apesar de dar quase duas horas de caminhada.
Na Vagueira deliciámo-nos com umas lulas e umas sardinhas assadas, obviamente bem regadas.

23/09/2007

Travessia Alto Coura em BTT


Já que estávamos na zona não podiamos de tentar fazer este percurso.
Depois de uma partida atribulada por trilhos não marcados, degradados e com sinais visíveis de incêndio recente lá encontrámos as famosas marcas que indicam o percurso certo.
Depois de mais de 25 Km's percorridos verificámos que ainda nos faltava percorrer muito mais Km's do que aqueles que já tinhamos feito contrariando a indicação que os folhetos nos davam.
Como ainda tinhamos que ir para Vila Nova de Cerveira ter com as caras metades e para comer um bom costeletão (e o dever acima de tudo) arranjámos uns trilhos de acesso mais rápido às viaturas e deixámos para uma segunda parte o resto da Travessia.
A paisagem é bonita, os trilhos regra geral muito bons e a registar a quantidade de gado que se encontra pelo caminho. Vale a pena lá ir.

22/09/2007

Passeio Pedestre ao Corno do Bico - Paredes de Coura




















Ainda como guias da AAPB fomos até a Paredes de Coura percorrer alguns dos trilhos daquela bonita zona. A subida ao miradouro do Corno do Bico foi um dos pontos interessantes do percurso.

Desta vez fomos apenas auxiliar o Pedro Borges que soube escolher alternativas bem mais interessantes do que as que o percurso marcado oferece.

Pelo caminho as inúmeras, grandes e doces amoras foram o "petisco" dos mais gulosos que até aproveitaram para depois em casa fazer uns docitos para a engorda.

O dia esteve muito agradável e o passeio correu muito bem.

16/09/2007

Passeio de BTT na Serra de Sicó


Oficialmente "inauguro" este BLOG com um passeio em BTT que eu e os meus amigos Vicente e Cardoso efectuámos na Serra de Sicó.
Mais uma vez, bem cedo lá partimos em busca de mais umas emoções, numa serra e zona que conheço da escalada (Redinha) e de caminhadas (Vale do Poio).
O local que decidi como ponto de partida foi a aldeia de Casmilo (local também conhecido pelas famosas Buracas do Casmilo, local de Escalada). Daí iniciámos uma ofegante subida (ainda a frio) à Srª do Circo (ou do Círculo???) local donde se avista grande parte da Serra em redor. A partir daí fomos pedalando e alterando o percurso que estava inicialmente previsto no sentido de retirar o máximo de alcatrão possível e procurar trilhos bem mais interessantes.
A navegação como sempre foi feita por leitura de carta militar e claro que pelo menos duas vezes demos por nós ao "lado" do local pretendido.
Durante o passeio salientam-se alguns pontos mais interessantes como o início do Canhão do Rio de Mouros (infelizmente seco nesta altura mas que deve ter uma beleza ainda maior quando por lá corre água), o Moinho do Outeiro uma construção em madeira de grande beleza e caracterizada por ser móvel (rotativo), e a descida do moinho até à povoação do Furadouro com momentos em que o trilho descendente decorria entre muros de pedra que deram grande beleza e intensidade ao momento.
Pela beleza própria desta Serra, com a quantidade de pedra, as dolinas (reservatórios naturais de água) e outros fenómenos geológicos que a caracterizam valeu a pena fazer este percurso, curto em Km's, mas para nós amadores duro e técnico quanto baste.