Pedalando pelo GR28

A serra a arder perto do Merujal, 07 de Agosto de 2010.

Serra do Gerês

Caminhando entre Garranos, de 07 a 08 de Maio de 2005.

Serra de São Macário

Escalada na Pena, 15 de Setembro de 2013.

Serra da Estrela

I Travessia em autonomia total - Guarda - Loriga, de 12 a 16 de Abril de 2004.

Linha do Dão - Ponte de Nagoselas

Travessia BTT pelas Linhas do Dão e Vouga, de 09 a 11 de Abril de 2009.

Caminhos de Santiago

Travessia do Rio Lires no Caminho de Finisterra, de 29 a 31 de Julho de 2010.

Serra de Montemuro

Nas Minas de Moimenta, 29 de Janeiro de 2011.

Linha do Corgo - Ponte do Tanha

Travessia da Linha do Corgo, de 06 a 10 de Outubro de 2013.

Serra do Caramulo

Nas neves do Caramulo com vista para a Serra da Estrela, 04 de Dezembro de 2010.

Aldeias Históricas

De BTT em autonomia total pelo GR22, de 28 de Abril a 01 de Maio de 2006.

Serra de São Macário - Da Pena a Covas do Monte...

24/03/2015

Pelo Trilho do Castro do Banho em São Pedro do Sul

 

 Para diversificar um pouco as zonas e o tipo de trilhos e paisagens resolvemos caminhar lá para os lados das Termas de São Pedro do Sul. O percurso escolhido foi o PR4 - Rota do Castro do Banho.

Os caminheiros participantes foram o Pina Jorge, o Francisco, o Figueiredo, o Zeca e o Bruno que pelas 9h30 iniciaram a actividade junto ao belo edifício do Inatel.

As condições atmosféricas, algo ameaçadoras, prometiam não colaborar connosco. Enquanto estávamos nos preparativos umas gotas de chuva caíram sobre nós, mas não nos demoveu.

Após a passagem pela ponte iniciámos a primeira subida que serviu de aquecimento. Seguimos em direcção a Beirós, Ferreiros e Serrazes.

O percurso estava muito bem marcado, não dando azo a qualquer engano. Passámos por algumas casas senhoriais, um parque de campismo abandonado e finalmente começámos a aproximar-nos do Rio Vouga. Esta é a parte mais bonita do percurso, não deixando por isso ninguém indiferente.

Após nova travessia do Rio Vouga, um pouco à frente da junção com o afluente Zela, optámos por não ir a Vouzela, nome que segundo consta provém de Vouga + Zela, entrando então no percurso denominado de PR9. Seguimos então pela antiga Via Romana do Vau que segue paralela à margem esquerda do rio Vouga.  Por esse trilho seguimos até às termas de São Pedro do Sul, apreciando, pelo caminho, a beleza da paisagem.

Acabou por não chover durante a actividade o que facilitou a vida aos caminheiros. O percurso, apesar dos seus 15 kms, não foi especialmente difícil. 

Obviamente que quase seria escusado dizer que no final recuperámos as calorias gastas com uma bela vitela num restaurante em Paradela.

As Fotos

18/03/2015

Escalada nas Fragas do Castelo em Valongo


 
No Sábado passado o Pedro Borges, o DJ e eu (Francisco) decidimos voltar a escalar nas Fragas do Castelo em Valongo. Na memória estão os momentos passados em 2004 quando, nestas mesmas paredes, decorreu uma das sessões práticas do Curso de Iniciação à Escalada.

Após as primeiras tentativas de fazer umas vias ficou provado que a falta de atividades de escalada e de treino específico contribuíram para o fraco sucesso obtido. Apenas o Borges conseguiu algum êxito, fazendo a abrir as vias “Salto de Cavalo” e “Aresta de Placa”. Aproveitou-se depois o top desta via  para se escalar a via “Chaminé”.

Durante a atividade apareceu um escalador, sozinho, que escalou as vias todas, com grande facilidade, enquanto nós penávamos para cumprir os mínimos.

Decorria também na zona a 3ª edição dos “Trilhos do Paleozoico” pelo que, durante mais de uma hora, devem ter passado por nós umas centenas de pessoas. Esta atividade tinha vários níveis de dificuldade – Ultra Trilhos (48 Km), Trilhos (23 Km), Mini Trilhos (12 Km) e Trilho dos Pequeninos.

Mais uma vez esta deslocação serviu para nos demonstrar que muito tempo sem escalar não ajuda muito nas performances obtidas, deixando-nos os níveis de motivação e de satisfação muito baixos.

01/03/2015

Caminhada pela Serra da Freita





O tempo não encorajava mas cumprimos com o combinado estando todos à 9 horas em frente ao Parque de Campismo do Merujal. O grupo foi constituído pelo Amaral, Pina Jorge, Joaquim, Francisco e o Pedro Cardoso.

A ideia inicial era fazer o PR16, onde há uns anos lavrou um incêndio que destruiu algumas indicações do percurso.

Começámos a caminhada algures entre o parque de campismo e a Sra. da Laje. A primeira subida, embora não sendo muito íngreme, foi suficiente para calar os mais faladores, durante um bom bocado.

Fomos encontrando, com dificuldade, as indicações do percurso até que, junto a um riacho, perdemos o trilho. Encontrávamo-nos junto a um parque de merendas no qual decidimos parar para nos reorientarmos e hidratar-nos um pouco.

Assim decidimos seguir pelos trilhos do GR28 até Albergaria da Serra, tomando depois o caminho até às eólicas, Aí fomos na direcção da levada que acompanha a margem direita do Caima. 

A ideia era passar o rio para a outra margem, seguindo pelos moinhos de água, e percorrer parte do PR15. Contudo a baixa visibilidade levou-nos a desistir dessa intenção e seguir até ao Coreto de Albergaria da Serra, passando pela tasca Manuel Tavares. Infelizmente esta encontrava-se fechada.

Continuámos depois por estrada até à Frecha da Mizarela, onde retomámos novamente o trilho até ao Parque de Campismo.

Após mudar de roupa, que se encontrava completamente molhada, demos por terminada esta actividade  em Chão de Ave, onde nos deliciámos com uma saborosa vitela assada.