Pedalando pelo GR28

A serra a arder perto do Merujal, 07 de Agosto de 2010.

Serra do Gerês

Caminhando entre Garranos, de 07 a 08 de Maio de 2005.

Serra de São Macário

Escalada na Pena, 15 de Setembro de 2013.

Serra da Estrela

I Travessia em autonomia total - Guarda - Loriga, de 12 a 16 de Abril de 2004.

Linha do Dão - Ponte de Nagoselas

Travessia BTT pelas Linhas do Dão e Vouga, de 09 a 11 de Abril de 2009.

Caminhos de Santiago

Travessia do Rio Lires no Caminho de Finisterra, de 29 a 31 de Julho de 2010.

Serra de Montemuro

Nas Minas de Moimenta, 29 de Janeiro de 2011.

Linha do Corgo - Ponte do Tanha

Travessia da Linha do Corgo, de 06 a 10 de Outubro de 2013.

Serra do Caramulo

Nas neves do Caramulo com vista para a Serra da Estrela, 04 de Dezembro de 2010.

Aldeias Históricas

De BTT em autonomia total pelo GR22, de 28 de Abril a 01 de Maio de 2006.

Linha do Corgo...

27/03/2010

BTT noctuno e Pedestrianismo nas Veredas do Pastor

Eram 19 horas de ontem e já estávamos a caminho da Serra da Freita, eu o Cardoso o DJ e o Vicente.
Tínhamos marcado um bugalow para passar a noite e queríamos fazer uma btt nocturna. Ao chegar à serra percebemos logo que o tempo, lá em cima, estava agreste.
Comemos uma sopa quente de cozido e uma bifana regada por umas cervejocas e preparámo-nos para iniciar o passeio. Desta vez, e para variar, resolvemos inverter o percurso e incluir umas nuances novas.
Partimos serra dentro iniciando uma parte do percurso descendente em busca do trilho que depois nos faria subir a serra. E encontrámo-lo pouco depois, mas achámos que não era o pretendido e continuámos a busca.
Mais à frente encontrámos nova opção, que aceitámos como sendo o caminho certo. E em boa hora o fizémos porque rapidamente percebemos que não era o trilho que pretendíamos seguir, e assim fomos "obrigados" a subie o íngreme e degradado trilho, irregular e longo, de pedras soltas e muitos buracos. Lá fomos empurrando e empurrando as bikes pelo infindável trilho, onde curva após curva, continuava teimosamente a subir.
Depois de bastantes e longos minutos a subir e de muito praguejar e arfar lá fomos parar à estrada junto ao desvio para Albergaria da Serra, na estrada que depois deriva para Arouca, Tebilhão e regressa ao Merujal.
Que tempinho se verificava lá pelas bandas. Vento forte e frio, e nevoeiro que rapidamente nos gelou. Pelo menos na subida estivémos sempre abrigados do vento e deu para aquecermos bem.
Optámos então, e inteligentemente, por regressar ao Parque de Campismo, para aquecer e descansar.
Hoje pelas 09 horas da manhã juntaram-se a nós o Pina Jorge, o Rui Correia e o Bruno Gravato, que se juntou a nós pela primeira vez, com o objectivo era fazer um dos trilhos de Vale de Cambra, "Nas Veredas do Pastor".
É sem dúvida um excelente passeio com magníficos trilhos, boas paisagens, aspectos interessantes em algumas das aldeias e com uma dureza já mais a nosso gosto. A descida à aldeida da Lomba é fantástica mas a subida de retorno ao Côvo é de fazer transpirar e arfar.
Pelo caminho O Bruno aproveitou para encontrar umas Caches (GeoCaching) "escondidas" ao longo do percurso.
Levou-nos este passeio, com uma meia-hora para repousar e comer junto à igreja da Lomba, umas boas 3 horas e uns minutos, para o percorrer na totalidade a um bom ritmo de andamento.
No final e com excepção do DJ e do Bruno, que tiveram que regressar a Aveiro, todos os outros regressaram à vitela e à Posta arouquesa de Chão d'Ave.
Notou-se a "fome" de caminhar e este trilho excedeu as minhas expectativas.
Recomendo.



13/03/2010

Trilho das Levadas em Valongo do Vouga

Aproveitando o Sol que finalmente resolveu aparecer decidimos fazer um caminhada ligeira para recomeçar a habituar o corpo a estas andanças.
Depois de muito escolher, e do muito que vi pouco me interessar, acabei por escolher um percurso relativamente perto de casa e que parecia conter alguma beleza e interesse.
Assim partimos de Aveiro pelas 8h15 (Calé, Natália, Cardoso, Manuela e Vicente) e encontrámo-nos em Sernada do Vouga com o Amaral que trazia consigo a Ilda, a Carmo e a Sara e seguimos para Valongo do Vouga, local de início da caminhada, para realizar o "Trilho das Levadas". Partimos calmamente primeiro por estrada e em breve caminhámos por trilhos tipicamente campestres.
O percurso não oferecia grande dificuldade física, na minha opinião também sem grande interesse em especial, excepção feita à parte em que chegámos aos Moinhos do Ribeiro a partir donde fomos acompanhando a ribeira. Algumas pequenas quedas-de-água e a ribeira animaram um pouco o passeio, devido à beleza da zona. Algumas árvores tombadas sobre o caminho obrigaram-nos a exercício extra.
Depois voltámos a atravessar alguns campos e finalmente regressámos à estrada onde caminhámos até chegarmos aos carros.
Duas horas e meia foi o tempo que passeámos por este trilho suave.
No final e como sempre recuperámos, com juros, as poucas calorias gastas, ao devorarmos um conjunto de iguarias, que até me recuso a nomear.
Soube bem o Sol, soube bem ouvir a água a cantar e o verde daquela parte junto ao rio, mas precisamos de percursos mais "a sério".