Serra de São Macário - Da Pena a Covas do Monte...

29/09/2015

Pelas Escarpas da Mizarela


Fomos este Domingo até à Serra da Freita para fazer o PR7 - Nas Escarpas da Mizarela.

Depois de termos tomado um café junto à Mizarela, o grupo formado pela Sara, Tina, Manuela, Fátima, Carla, Sílvia, Amaral, Cardoso, DJ, Francisco e Rui Correia partiu para percorrer este curto mas exigente percurso.

O tempo, que na zona litoral se encontrava bastante cinzento, encontrava-se aqui bastante estival, levando-nos a aliviar da roupa em excesso.

Após passarmos junto às paredes de escalada de Cabaços entrámos na zona mais escarpada que nos leva ao afloramento de quartzo, Iniciámos aí a descida mais acentuada até ao rio e ao lugar da Ribeira. 

A descida bastante acentuada foi percorrida com muita calma, fazendo com que o grupo se alongasse.

Reagrupámos e descansámos junto à ponte que passa sobre  a cascata.  Retomámos depois a descida até ao rio voltando a reagrupar o grupo junto à povoação. Aproveitámos para hidratar e comer alguma coisa.

Ninguém ousou ir ao banho nas “marmitas” que o rio Caima forma nesta zona porque a água parecia estar bem fresca.

Seguiu-se então a parte mais difícil do percurso, devido ao desnível da subida. É também a parte mais bonita, com vista para a Frecha da Mizarela. A subida foi feita ao ritmo de cada um. Durante a subida apercebemo-nos que estavam alguns aventureiros a praticar canyoning, descendo a cascata em rapel.

Já na esplanada-miradouro, em frente ao café de onde partíramos, tivemos a agradável surpresa da companhia da Zita e do Pina Jorge. Também o Bruno, impedido de fazer o percurso por razões profissionais, se juntou ao grupo. Fomos acabar a actividade para o restaurante Mira Freita onde recuperámos do desgaste sofrido durante a actividade.



2 comentários:

Estou a gostar de ver que afinal começam a mexer-se e a fazer alguma coisa. Só tenho pena de não poder estar aí e partilhar convosco esses momentos.

Quando voltar vingo-me.

Um abraço

Calé

Fico com a sensação que tu eras a força de bloqueio. Já podes voltar, estás perdoado.