Pedalando pelo GR28

A serra a arder perto do Merujal, 07 de Agosto de 2010.

Serra do Gerês

Caminhando entre Garranos, de 07 a 08 de Maio de 2005.

Serra de São Macário

Escalada na Pena, 15 de Setembro de 2013.

Serra da Estrela

I Travessia em autonomia total - Guarda - Loriga, de 12 a 16 de Abril de 2004.

Linha do Dão - Ponte de Nagoselas

Travessia BTT pelas Linhas do Dão e Vouga, de 09 a 11 de Abril de 2009.

Caminhos de Santiago

Travessia do Rio Lires no Caminho de Finisterra, de 29 a 31 de Julho de 2010.

Serra de Montemuro

Nas Minas de Moimenta, 29 de Janeiro de 2011.

Linha do Corgo - Ponte do Tanha

Travessia da Linha do Corgo, de 06 a 10 de Outubro de 2013.

Serra do Caramulo

Nas neves do Caramulo com vista para a Serra da Estrela, 04 de Dezembro de 2010.

Aldeias Históricas

De BTT em autonomia total pelo GR22, de 28 de Abril a 01 de Maio de 2006.

Aldeias Históricas - Piódão...

20/03/2017

Aldeias Históricas - Piódão (Novo Formato)...

Piódão, a aldeia das casas de pedra sobrepostas umas nas outras e dispostas socalco a socalco ao sabor do monte, oferece, a quem a visita, a impressão de ter encontrado uma aldeia imaginária onde só é possível encontrar nos contos de fadas.

Situada numa encosta da Serra do Açor, as habitações possuem as tradicionais paredes de xisto, tecto coberto com lajes e portas e janelas de madeira pintada de azul. O aspecto que a luz artificial lhe confere, durante a noite, conjugado pela disposição das casas, fez com que recebesse a denominação de "Aldeia Presépio".

Piódão é a freguesia portuguesa mais longínqua do concelho de Arganil, distrito de Coimbra, distando 23 quilómetros da sede do concelho.

Situa-se num vale profundo no sopé da Serra do Açor, uma ramificação da Serra da Estrela, cujo ponto mais alto – Picoto do Piódão – atinge os 1400 metros.

Esta aldeia tem 36,36 Km² de área e 178 habitantes (2011) e inclui as seguintes aldeias e quintas: Piódão, Malhada Chã, Chãs d'Égua, Tojo, Fórnea, Foz d`Égua, Barreiros, Covita, Torno, Casal Cimeiro e Casal Fundeiro.

A desertificação das zonas do interior afecta praticamente todas as povoações desta freguesia. As populações mais jovens emigraram ou deslocaram-se para as zonas litorais à procura de melhores condições de vida. Regressam às suas origens, sobretudo, durante as épocas festivas e no Verão, como forma de reviver o passado e de se reencontrarem com os seus congéneres.

Classificada como Imóvel de Interesse Público, é considerada uma das aldeias mais bonitas do país e uma das doze Aldeias Históricas de Portugal.

Recebeu nos anos 80 do século XX, o Galo de Prata, condecoração atribuída à "Aldeia Mais Típica de Portugal".

16/03/2017

Aldeias Históricas - Monsanto (Novo Formato)...


Construída em pedra granítica, Monsanto avista-se na encosta de uma grande elevação escarpada, designada por "Cabeço de Monsanto" (Mons Sanctus). Situada a nordeste de Idanha-a-Nova, irrompe repentinamente do vale, com as suas casas de granito e xisto aninhadas no meio de gigantescos penedos, atributos estes de rara beleza.

A sua localização, no cimo de uma elevação de um abrupto cabeço com 758 metros de altitude, foi, desde o tempo dos Lusitanos, um refúgio por excelência. Importante praça militar, os feitos históricos ligados ao castelo e à defesa da região são inúmeros.

Monsanto dista cerca de 25 quilómetros de Idanha-a-Nova, sede do concelho, possui 131,76 km² de área e 829 habitantes (2011). O acesso a esta localidade faz-se pela Estrada Nacional 239 e pela Estrada Municipal 567.

À freguesia de Monsanto pertencem os lugares de Adinjeiro, Carroqueiro, Lagar Maria Martins, Lagar d'Água, Lagar de Junho, Torre, Relva, Devesa, Carriçal, Afonso Enes, Carro Quebrado, Sidral, Monsantela, Valado, Barreiro, Eugénia, Fonte Carvalho, Amial e Pomar.

Nas últimas décadas, Monsanto ficou popularmente conhecida como "a aldeia mais portuguesa de Portugal", exibindo o Galo de Prata, troféu da autoria de Abel Pereira da Silva, cuja réplica permanece até hoje no cimo da Torre de Lucano ou do Relógio, como também é conhecida.

Actualmente, pelo rigor da conservação e exotismo dos seus recantos, merece a designação de "Aldeia Histórica de Portugal".

Com as páginas de Monsanto publicam-se também as Fichas Técnicas dos percursos "BTT de Monsanto às Termas de Monfortinho" e "Escalada em Penha Garcia". 



09/03/2017

Aldeias Históricas - Marialva (Novo Formato)...

Marialva é uma das dezasseis aldeias e freguesias do concelho de Mêda. A distância entre a sede de concelho e Marialva é de cerca de sete quilómetros pela EN324. Possui uma área de 19,15 km² de área e 255 habitantes, segundo os resultados obtidos nos Censos efectuados à população no ano de 2011. Esta antiga vila apresenta actualmente uma desertificação de cinquenta por cento.

Marialva encontra-se delimitada a Norte pelas freguesias de Mêda e Longroiva, a Oeste pela freguesia de Vale Flor, a Este pela aldeia de Barreira e a Sul pelas freguesias de Carvalhal, Coriscada e Rabaçal.

A parte antiga desta povoação situa-se numa vasta eminência rochosa, a 580 metros de altitude, sobranceira aos campos da Devesa atravessados pela ribeira de Marialva.

Esta freguesia é constituída por três aglomerados: a Devesa, o Arrabalde ou Vila, e a Cidadela.

A Devesa, situada a Sul da Cidadela, mais baixa e com terras férteis, estende-se pela planície até à Ribeira de Marialva, local onde, presentemente, se congrega o maior número de habitações, algumas delas construídas com a pedra da velha cidade. Aqui se ergue a ermida de Nossa Senhora dos Remédios, onde se realiza, em Agosto, a festa anual em honra desta santa. Neste aglomerado, outrora cidade de Aravor, terá existido um templo dedicado a Júpiter que, com o decorrer dos anos, se transformou em habitação senhorial e, posteriormente, em santuário cristão. Possuía duas torres e terá sido demolido nos finais do século XVIII.

O Arrabalde, também conhecido por Vila, é um conjunto habitacional fora de portas construído no sentido do antigo caminho para a Mêda, a Norte do castelo, e que apresenta uma malha urbana de traçado predominantemente medieval, onde proliferam igrejas, capelas, casas quinhentistas e senhoriais a par das habitações rurais com características típicas da casa beirã.

A Cidadela de Marialva, toda muralhada, é um local onde já ninguém habita.

A área económica desta povoação baseia-se, principalmente, na actividade agrícola, e tem como principais produtos, a batata, os cereais, o vinho e o azeite.

Aldeia da Beira Interior, Marialva foi uma das contempladas no Programa de Aldeias Históricas de Portugal formulado pelo governo português, em 1991. Desde então, tem sofrido restauros e beneficiações no seu imperdível património arquitectónico.



06/03/2017

Aldeias Históricas - Linhares da Beira (Novo Formato)...


Contando com uma área geográfica de, aproximadamente, 4 hectares e perto de 200 fogos, com 15,47 km² de área e 259 habitantes (2011), Linhares da Beira é uma freguesia portuguesa do concelho de Celorico da Beira, na Beira Alta, em pleno Parque Natural da Serra da Estrela, encontrando-se a uma distância de 5 quilómetros da Estrada Nacional 17.

Esta aldeia foi erguida num majestoso penedo situado na meia-encosta da vertente nordeste da Serra da Estrela, à altitude de 180 metros. A sua localização permitia-lhe uma posição defensiva privilegiada durante as lutas travadas por Portugal durante a sua longa existência.

A paisagem montanhosa é a típica da Beira Alta, multifacetada, com solos férteis e água em abundância.

Do ponto mais alto de Linhares da Beira domina-se o vale do Rio Mondego.

Nas encostas podem observar-se alguns bosques de carvalhos, de castanheiros e de pinheiros, prados e planícies cerealíferas, bordeados de giestal.

Numerosos penedos graníticos dispersam-se nesta paisagem sobressaindo aquele em que assenta o castelo de cantaria, onde a passagem dos séculos deixou a sua marca.

Considerada como a "Capital do Parapente" desde 1993, esta aldeia histórica conta com uma escola onde ensina a prática desta modalidade desportiva e radical, abrilhantando os seus céus e trazendo às suas paragens novos visitantes, proporcionando-lhes momentos extraordinários de aventura e adrenalina.


Com as páginas de Linhares da Beira publica-se também a Ficha Técnica dos percursos "BTT pelos Percursos das Calçadas e dos Viveiros".