Linha do Minho...

15/01/2017

Caminhos de Santiago - O Caminho Português...


As peregrinações portuguesas a Santiago de Compostela são conhecidas desde a Alta Idade Média e intensificaram-se a partir da independência do país, em meados do século XII. Desde então, o culto Jacobeu teve, em Portugal, uma projecção muito significativa.

Os cristãos portugueses iniciaram as suas incursões ao túmulo do Apóstolo São Tiago atraídos pela sacrilidade do lugar onde, segundo a tradição, estão sepultados os seus restos mortais, dirigindo-se a Compostela pelos mais variados motivos: pagamento de promessas, cumprimento de penitências ou por mera curiosidade.

Durante séculos os portugueses contribuíram para esta experiência colectiva com altos níveis de participação, tendo sido utilizado por gente simples e anónima mas igualmente por reis, nobres e altos clérigos.

A configuração do Caminho Português conta com uma dinâmica histórica de diversas naturezas: bosques, terras de cultivo, aldeias, vilas e cidades históricas, caminhos que atravessam cursos de água e por pontes, algumas de origem romana, de inequívoca construção medieval.

Faz igualmente uso de trajectos antigos que cruzam capelas, igrejas, conventos, alminhas e cruzeiros, onde não se prescinde a imagem de Santiago peregrino, acompanhando o romeiro e reconfortando-o no seu caminhar.

O Caminho Português mantém desde a Idade Média a herança de intercâmbio entre povos vizinhos que o caminho romano inaugurou na antiguidade, com a construção da Via XIX, no século I d.C., por Augusto, conhecida nas fontes clássicas como o chamado "Itinerário Antonino". Este testemunho tão antigo assegura a vitalidade desta via em datas tão longínquas.

Os vários caminhos que tinham origens em distintos pontos do país convergiam uns nos outros até se unirem em duas grandes rotas ao entrar na Galiza: pelo litoral a partir de Valença-Tui e pelo interior a partir de Chaves. O Caminho que parte de Chaves entronca em Verin no chamado Caminho do Sudeste ou Via da Prata.

A maior parte dos caminhos portugueses entroncam em Valença do Minho, onde se fazia (e se continua a fazer) a travessia da fronteira para Tui e daí estende-se por cerca de 110 quilómetros.

Do lado português, os percursos mais frequentados são a partir de Lisboa, do Santuário de Fátima, de Coimbra, do Porto, de Barcelos ou de Braga.

A única variante conhecida deste caminho tem o seu início junto à Torre dos Clérigos, no Porto, e segue por Braga até Ponte de Lima, localidade onde volta a integrar o Caminho Português.

O "nosso" Caminho Português tem, como ponto de partida, a cidade de São João da Madeira, atravessa a cidade do Porto, seguindo por Vila do Conde, Rates, Barcelos, Ponte de Lima e Valença. Em Espanha, entra na Galiza por Tui e segue com destino a Santiago de Compostela.

0 comentários: