Pedalando pelo GR28

A serra a arder perto do Merujal, 07 de Agosto de 2010.

Serra do Gerês

Caminhando entre Garranos, de 07 a 08 de Maio de 2005.

Serra de São Macário

Escalada na Pena, 15 de Setembro de 2013.

Serra da Estrela

I Travessia em autonomia total - Guarda - Loriga, de 12 a 16 de Abril de 2004.

Linha do Dão - Ponte de Nagoselas

Travessia BTT pelas Linhas do Dão e Vouga, de 09 a 11 de Abril de 2009.

Caminhos de Santiago

Travessia do Rio Lires no Caminho de Finisterra, de 29 a 31 de Julho de 2010.

Serra de Montemuro

Nas Minas de Moimenta, 29 de Janeiro de 2011.

Linha do Corgo - Ponte do Tanha

Travessia da Linha do Corgo, de 06 a 10 de Outubro de 2013.

Serra do Caramulo

Nas neves do Caramulo com vista para a Serra da Estrela, 04 de Dezembro de 2010.

Aldeias Históricas

De BTT em autonomia total pelo GR22, de 28 de Abril a 01 de Maio de 2006.

Linha do Vouga...

11/03/2016

Serra do Caramulo: Rota dos Caleiros



No fim de semana passado resolvemos percorrer um trilho na Serra do Caramulo onde já não caminhávamos há alguns anos. Devido ao facto de na semana anterior a serra ter sido coberta por um manto de neve íamos com a esperança de ainda encontrar alguns vestígios pelo percurso.

Apesar do dia estar frio e pelo caminho se vissem muitos ramos de árvores caídos pelo peso da neve o facto é que infelizmente já não havia sinais de neve.

Foi já no Caramulo que grupo se reuniu composto pelo DJ, Figas, Cardoso e Francisco,  vindos de Aveiro, e a Sílvia,  a Carla,  a São Zita e o Amaral, vindos de Ovar e Matosinhos.

Iniciámos o percurso na povoação do Pedrogão e seguimos na direcção do Caramulinho.

Dada a proliferação de torres eólicas na zona, o percurso encontra-se descaracterizado devido aos muitos estradões abertos durante a montagem dos parques eólicos. Por esse motivo as marcas do percurso quase desapareceram.

A chegada à base do Caramulinho dividiu o grupo, entre os que quiseram subir os duzentos e tal degraus e os que preferiram esperar. Os corajosos que subiram ao ponto mais alto desta serra puderam deliciar-se com a vista que rodeia este ponto elevado.

Na ausência de marcas durante o percurso valeram as novas tecnologias do DJ. Foram fundamentais para conseguirmos seguir o percurso.

Esta fase do percurso torna-se interessante pela enorme quantidade de pedras e pelas formas mais estranhas e por vezes sugestivas que as mesmas tomam, fruto da acção natural dos ventos e águas.

Em Jueus tirámos a tradicional foto de grupo junto à Capela. Nesta povoação encontrámos um edifício novo, uma casa de turismo rural, cujo restaurante pareceu ter bastante sucesso atendendo ao número de carros e pessoas que por lá estava.

Regressámos a Pedrogão onde revimos o curioso penedo do equilíbrio,  na sua aparente instabilidade, mas que por lá permanece há muitos anos.

O repasto foi em Mourisca do Vouga, com um rodízio à brasileira.