Pedalando pelo GR28

A serra a arder perto do Merujal, 07 de Agosto de 2010.

Serra do Gerês

Caminhando entre Garranos, de 07 a 08 de Maio de 2005.

Serra de São Macário

Escalada na Pena, 15 de Setembro de 2013.

Serra da Estrela

I Travessia em autonomia total - Guarda - Loriga, de 12 a 16 de Abril de 2004.

Linha do Dão - Ponte de Nagoselas

Travessia BTT pelas Linhas do Dão e Vouga, de 09 a 11 de Abril de 2009.

Caminhos de Santiago

Travessia do Rio Lires no Caminho de Finisterra, de 29 a 31 de Julho de 2010.

Serra de Montemuro

Nas Minas de Moimenta, 29 de Janeiro de 2011.

Linha do Corgo - Ponte do Tanha

Travessia da Linha do Corgo, de 06 a 10 de Outubro de 2013.

Serra do Caramulo

Nas neves do Caramulo com vista para a Serra da Estrela, 04 de Dezembro de 2010.

Aldeias Históricas

De BTT em autonomia total pelo GR22, de 28 de Abril a 01 de Maio de 2006.

Serra da Freita - Caminhos do sol Nascente...

30/03/2011

Amaral no Curso de Alpinismo nos Picos da Europa




Aqui envio o relato magistralmente feito por um colega do Curso de Alpinismo que, melhor do que eu, consegue traduzir o que sentimos e passámos naquelas montanhas.

Amaral

"Miguel Catarino

O fim-de-semana que passou, foi um daqueles que me encheu a alma.
Desde miúdo que no meu ADN está escrito a palavra montanha. Esse fascínio pelos montes, pelas pedras, vales e rios, é quase como uma questão de religião. Acredito que existe algo especial na montanha que me preenche e me faz sentir melhor. É a minha fonte de energia.
A montanha é magnética. Atrai-me de uma forma poderosa e inexplicável.
Podemos usufruir dos seus encantos de diversas formas. Percorrendo os seus trilhos, descendo os seus rios, escalando as suas paredes, sobrevoando os seus vales ou simplesmente lá bem no alto, contemplando a sua grandeza ou simplesmente escutando o seu respirar.
Este fim-de-semana na conclusão da parte prática do curso de Alpinismo do clube Amigos da Montanha, superiormente ministrado pelo Pedro Guedes (Espaços Naturais) consegui surpreender-me com os desafios colocados e superados.
Não sei explicar muito bem o que senti, mas senti-me muito bem, apesar do medo que por vezes tive de superar.
O medo faz parte do nosso quotidiano. Apreender a superá-lo, de forma controlada e racional, faz parte da nossa aprendizagem como homens. A montanha ajuda-nos a isso.
O melhor para superar esses medos e receios é estar bem preparado para eles. Tecnicamente (com formação), fisicamente(treinando) e principalmente mentalmente(talvez o maior desafio).
É assim na montanha, é assim no dia-a-dia.
Saber como actuar não é instintivo. Apreende-se. Saber o que fazer, atenua os nossos medos.
Por isso recomendo a todos os que gostem de desporto de montanha, que experimentem um curso de montanhismo, ou de alpinismo. Acreditem que com um formador como o que tive, tudo vai fluir. A parte técnica está garantida, a física vai estando :) e a psicológica melhora substancialmente."

26/03/2011

Da Pena a Covas do Monte

O dia estava cinzento e ameaçava chuva mas mesmo assim decidimos partir para São Pedro do Sul e daí para a aldeia da Pena.
Ao chegarmos ao São Macário o nevoeiro não deixava ver grande coisa obrigando-nos a cuidados redobrados na estrada. Na descida para a Pena o nevoeiro aliviou, melhorando imenso a visibilidade, mas caíam alguns pingos de chuva.
Equipámos a rigor e seguimos em direcção a aldeia.
Pretendíamos chegar a Covas do Monte mas não tínhamos grandes referências sobre o caminho, sendo a maior a linha de alta tensão.
Após atravessar a aldeia subimos pelo trilho até junto da referida linha e aí perdemos o caminho. Após algumas tentativas de encontrar o trilho decidimos seguir na direcção da linha, iniciando a descida à linha de água. Descemos fora de trilho, por pedras soltas e húmidas até atravessarmos a ribeira.
Depois da ribeira iniciámos a subida por um aparente trilho que, em breve, nos expunha à vertente escarpada e que nos obrigou a subir de forma bastante física até que, muito depois, chegámos ao trilho que deveríamos ter encontrado bem lá em cima.
Uma vez no trilho chegámos com facilidade à estrada que leva a Covas do Monte e, evitando esta, descemos por trilhos pedregosos até à aldeia.
Bebemos um cervejinha acompanhada de presunto e paio, visitámos a aldeia e regressámos, agora em subida acentuada, até à estrada. A subida fez bater os corações e suar um bocado.
O tempo continuava cinzento e a chuva, embora não constante continuava a cair.
Regressámos ao trilho que ligava à Pena e percorremos desta vez a parte que não tínhamos encontrado na manhã e pudemos constatar a grande estafa que tínhamos levado na primeira parte do percurso.
Chegámos à aldeia da Pena sob chuva abundante e fresca.
Após mudarmos as roupas molhadas fomos até ao restaurante da aldeia onde retemperámos as forças com algumas boas iguarias.


Da aldeia da Pena a Covas do Monte (em directo)

Final da Actividade

Em Covas do Monte

A caminho de Covas do Monte

Aldeia da Pena - São Macário

20/03/2011

Canhão do Vale do Poio e Escalada na Redinha


O dia esteve magnífico, até bastante quente para último dia de Inverno, e a opção de fazer uma caminhada pela Serra de Sicó foi excelente.
Partimos junto da capela da Senhora da Estrela descendo até à povoação do Poio e daí entrámos no belo e imponente Canhão do Vale do Poio.
Pudemos observar as novas zonas de escalada deste Vale onde um grupo numeroso de escaladores por lá suava na tentativa de fazer aquelas vias.
Atravessámos calmamente todo o Canhão, por entre árvores e mato o que tornou a caminhada mais fresca, e depois regressámos ao ponto de partida tendo gasto no total cerca de três horas em todo o percurso.
No final ainda tivemos alguma força para fazer algumas das vias de Escalada da Redinha e fazer o gosto ao dedo.
No regresso e como já é hábito a paragem na Mealhada foi obrigatória para comer um leitãozinho e beber um Castiço e assim recuperar as forças.


19/03/2011

Na serra de sicó (...em directo)

Na Mealhada a recompor as forças.


A Escalar na Redinha.


No Canhão por entre matos e pedras.


O Canhão do Vale do Poio.


A caminho do Vale do Poio

Início da Actividade

18/03/2011

Carnaval na Rocha da Serra da Freita

Aproveitando a terça-feira de Carnaval um grupo de elementos do Espírito-de-Aventura foram escalar até à Serra da Freita.
O dia esteve cinzento e frio mas não o suficiente para desanimar este pequeno grupo de escaladores.


02/03/2011

Estágio de Inverno em Alta Montanha - Gredos

Relato do Estágio por Amaral:

"Boa noite!

Aqui envio algumas fotos do estágio em Gredos - Espanha. Uma boa aventura bastante dura mas apaixonante.

Este estágio, levado a cabo pela Secção de Montanhismo dos Amigos da Montanha constou da prática de técnicas invernais/alpinas com classificação "N1 +" realizado nos dias 26 e 27 de Fevereiro.

Sob a batuta do Montanhista líder Carlos Peixoto e dos adjuntos Marco Barreto e Paulo Alves, foram ministradas diversas matérias sobre técnicas invernais, orientação, montagem de acampamento, nós, encordamento, reuniões e ancoragem, rapel em neve, escalada em gelo, segurança e resgate.

O nível de dificuldade foi classificado como médio/alto.

A formação foi dividida em duas etapas tendo a 1ª etapa como ponto de partida Navalperal de Tormes, a 1303 metros e como ponto de chegada as Cinco Lagunas, a 2099 metros onde foi montado acampamento. Após a montagem do acampamento seguiu-se formação, durante cerca de 4 horas.

A 2ª etapa, com saida às 6 horas e com muito frio, para permitir a ascensão ao cume que apesar de ser a cerca de 400m de distância nos levou cerca de 3 horas a percorrer.

Depois das fotografias da praxe efectuou-se a descida em ritmo rápido, a desmontagem do acampamento e a descida para a base para retornar às viaturas e regressar a Portugal.

Deixo aqui o meu agradecimento pela amizade com que fui recebido neste grupo, pela paciência e ensinamentos. A todos o meu muito obrigado.

Manuel Amaral"